Com improviso na segurança, Fórum reabre as portas

A reabertura do Fórum de São José após o tiroteio que matou duas pessoas na última quarta-feira foi marcada ontem por confusão e improvisação no novo sistema de segurança do prédio. A promessa de que os dois detectores de metais estariam em funcionamento, um para os cidadãos e outro para advogados e funcionários do prédio, não foi cumprida. Apenas um aparelho ficou ligado durante todo o dia.

O diretor do Fórum, José Loureiro Sobrinho, afirmou que hoje o problema já estará solucionado. “Vamos mandar calibrar o detector. Estava havendo interferência de um no outro.” Os usuários do prédio reclamaram principalmente das longas filas e da falta de segurança do lado de fora.

Os servidores do Fórum que já haviam passado pelo detector no período da manhã não quiseram se submeter ao aparelho novamente à tarde em razão da longa fila com o início do horário de atendimento à população. “Já passei pelo detector de manhã e querem que eu passe de novo. É brincadeira. Os caras não se prepararam direito”, disse um funcionário, que preferiu não se identificar.

Em virtude das reclamações, à tarde apenas uma revista manual começou a ser feita nos servidores e advogados, enquanto o público continuou sendo submetido ao detector de metais. “Isto aqui está um inferno. Estou com criança de colo e tendo de esperar no sol”, disse a dona de casa Renata Cristina Lopes, 28 anos.

A segurança foi reforçada no Fórum ontem com a presença de dois policiais militares (sendo uma mulher) e dois guardas municipais, além de servidores do Tribunal de Justiça do Estado. Do lado de fora, no entanto, não havia presença policial permanente.

“Estou na fila há 15 minutos e aqui fora não tem segurança”, disse o vigilante Emanuel dos Santos Lima, 27 anos.
A Polícia Militar disse que, se houver necessidade, reforçará a segurança do lado de fora do Fórum.

Apenas veículos oficiais e de funcionários devidamente credenciados podem estacionar nas vagas em frente ao prédio. Os agentes de trânsito foram orientados a permanecer no local o dia todo. Apenas um condutor foi multado ontem em frente ao Fórum.

O Vale

Prédio antigo que abrigava Lojas Americanas, reabre

Após permanecer fechado durante quase quatro anos, o prédio que abrigou a antiga Lojas Americanas, no centro de São José dos Campos, foi reformado e reaberto pelo grupo empresarial Esperança, de Guarulhos. Comercial Esperança é o nome do mais novo supermercado da cidade, inaugurado na semana passada, que atende no atacado e varejo.

Segundo o gerente operacional da loja, Marco Aurélio Serbranes, o empreendimento gerou 200 empregos diretos.
O imóvel, de propriedade do IPSM (Instituto de Previdência do Servidor Municipal), possui 3.200 metros quadrados de área construída e foi locado para o grupo empresarial por R$ 38 mil mensais, por um período de 10 anos.

“A nossa meta é atender aos moradores do centro que não tem um grande centro de compras”, disse o gerente.
A loja de São José é a oitava do grupo, que possui unidades em Guarulhos, Suzano, Mogi das Cruzes e Sorocaba.
O novo supermercado funciona durante a semana das 7h30 às 21h e aos domingos, até as 13h.

A inauguração da loja integra o plano de revitalização do centro comercial de São José. O superintendente do IPSM, Oilze dos Santos Filhos, disse que a ocupação do imóvel é boa para toda a cidade.

O Vale