Começa alistamento militar para jovens que completam 18 anos

[sinopse datas=”true” imprensa=”4″]

Jovens que completam 18 anos até dezembro têm até 30 de junho para se apresentar à Junta de Serviço Militar, na Vila Industrial, para o alistamento do serviço militar. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h30.

Na primeira semana deste ano foram 360 alistamentos. A estimativa para o final do prazo legal, em 30 de junho, é de 6 mil.
Para se alistar, os jovens nascidos em 1999 devem levar certidão de nascimento ou outro documento de identidade (RG, carteira de motorista ou de trabalho), comprovante de residência e uma foto recente no tamanho 3 por 4 (não são aceitas fotos com camisa de time e regata).

O alistamento é obrigatório. E o descumprimento pode acarretar contratempos, como impedimento para retirar passaporte, ingressar no serviço público ou em empresa privada. Além disso, há previsão de multa, cujo valor varia conforme o tempo de atraso do candidato.

Aqueles que perderem o prazo de alistamento só poderão participar da seleção no ano que vem, para incorporação em 2019. A Junta de Serviço Militar de São José dos Campos fica na Rua Saigiro Nakamura, 500, Vila Industrial. Informações pelo telefone 3912-3422.

Após a inscrição, o jovem recebe o certificado de alistamento militar, com a indicação de data para participar da seleção geral, a ser organizada entre julho e outubro. Quem for escolhido ingressará no Tiro de Guerra em 2018. Já os que forem dispensados (a maior parte por excesso de contingente) se tornam parte da reserva das Forças Armadas.

O recruta passa por uma formação militar básica e depois se especializa em determinada área. Ao final de um ano de serviço, o interessado em seguir carreira militar deve se submeter a nova seleção, podendo permanecer em serviço por mais sete anos.

Prazo para o alistamento militar termina na próxima terça-feira

[sinopse datas=”true” imprensa=”4″]

Os jovens que completam 18 anos em 2015 têm até a próxima terça-feira (30) para fazer o alistamento na Junta do Serviço Militar. Em São José dos Campos, a inscrição pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h, na sede do Tiro de Guerra, na Vila Industrial, na zona leste.

Para o alistamento, são exigidos documentos originais de certidão de nascimento e RG, além de um comprovante de residência e duas fotos 3×4 recentes. Quem perder o prazo deve comparecer à Junta Militar para regularizar sua situação, com os mesmos documentos, para participar do processo de alistamento em 2016 e servir no ano seguinte.

Caso o cidadão tenha filhos, é necessária, a apresentação da certidão de nascimento original das crianças. Jovens com deficiência precisam apresentar laudo médico. Brasileiros que residem no exterior podem se dirigir ao consulado para proceder ao alistamento, e ao retornar ao Brasil deverá se apresentar à Junta Militar do município.

Encerrado o prazo de alistamento, os candidatos inscritos passarão por exame de seleção que avalia os aspectos físicos, psicológicos e morais para exercer o serviço militar. O processo acontece entre os meses de julho e outubro, período em que pode ocorrer também a dispensa por excesso de contingente.

A Junta de Serviço Militar de São José dos Campos fica na Rua Saigiro Nakamura, 500, na Vila Industrial.

Período de alistamento militar começa nesta segunda-feira

Começa nesta segunda-feira (6) e vai até 30 de junho o período de alistamento para o serviço militar. Rapazes que completam 18 anos até dezembro de 2014 devem se apresentar à Junta de Serviço Militar, na Vila Industrial. Em São José dos Campos, cerca de 6 mil jovens devem alistar-se junto ao Exército Brasileiro neste ano.

Para se alistarem, jovens nascidos em 1996 devem levar certidão de nascimento ou outro documento de identidade (RG, carteira de motorista ou de trabalho), comprovante de residência e uma foto recente, tamanho 3×4. No ano passado, 5.513 jovens se alistaram na Junta Militar no município.

O alistamento é obrigatório e o descumprimento pode acarretar contratempos, como o impedimento para retirar passaporte, ingressar no serviço público ou na iniciativa privada, entre outros. Além disso, há previsão de multa, cujo valor varia conforme o tempo de atraso do candidato.

Aqueles que perderem o prazo de alistamento (2 de janeiro a 30 de junho de 2014) só poderão participar da seleção em 2015, para incorporação apenas em 2016. A Junta de Serviço Militar de São José dos Campos fica na Rua Saigiro Nakamura 500. Informações pelo telefone (12) 3912-2759.

Após a inscrição, o jovem recebe o certificado de alistamento militar, com a indicação de uma data para participar da seleção geral, a ser organizada entre os meses de julho e outubro. Quem for selecionado ingressará no Tiro de Guerra em 2015, e os que forem dispensados (a maior parte por excesso de contingente) se tornam parte da reserva das Forças Armadas.

O recruta passa por uma formação militar básica e depois se especializa em determinada área. Se ao final de um ano de serviço, o recruta que quiser seguir na carreira militar deve se submeter a uma nova seleção, podendo permanecer em serviço por mais sete anos.

Policiais Militares pedem ajuda da Câmara da cidade

A Polícia Militar entregou aos vereadores de São José dos Campos na noite da última terça-feira, um pacote de sugestões para melhorar a segurança pública na cidade. Das propostas feitas pela PM, a principal visa fechar o cerco aos bailes funk irregulares, onde carros usam som alto para animar festas durante a madrugada.

Além de pedirem uma punição mais severa para quem fere o direito ao sossego público, os policiais sugeriram um parceria entre PM e prefeitura na fiscalização de trânsito, hoje restrita aos ‘marronzinhos’. O apoio dos vereadores à Operação Atividade Delegada, um convênio firmado entre as prefeituras e a Secretaria da Segurança Pública, que permite aos policiais militares desempenharem suas funções nos dias de folgas, também foi tratado na reunião com o Legislativo.

Em São José, o projeto de lei que autoriza o convênio já foi aprovado, mas a prefeitura não se mostrou interessada em levar a parceria adiante. Na reunião, que foi solicitada pela PM, os policiais sugeriram mudanças no projeto de lei da vereadora Angela Guadagnin (PT), que trata da preservação ao sossego público na cidade.

O projeto, apresentado em 2009, foi rejeitado à época. Agora, a PM quer que ele seja readequado aos problemas atuais e levado para votação em plenário novamente. “O projeto da vereadora Angela é bem detalhado quanto ao problema, mas ele não contempla o barulho em veículos. Queremos ter autonomia para aplicar multa e apreender os carros com som alto. Hoje, a população nos liga e, quando vamos ao local, não podemos fazer muita coisa”, explicou o tenente coronel Takao Ikeda.

A vereadora Angela Guadagnin disse que vai estudar as sugestões da PM e, em no máximo 15 dias, apresentará o projeto de lei novamente. “No governo anterior, nenhum dos meus projetos era aprovado. Esse projeto contra a poluição sonora é muito bem fundamentado e, agora, a polícia ofereceu sugestões. Vamos analisar e apresentar de novo”, disse a vereadora.

Com relação à fiscalização de trânsito, os policiais sugeriram a autorização para um convênio com prefeitura, para que seja possível fiscalizar irregularidades no trânsito, como estacionamento em locais proibidos. Um prática corriqueira durante a realização dos bailes. “Quando se para o carro em frente a uma garagem, a PM não pode autuar. O Código Brasileiro de Trânsito diz que a fiscalização cabe à prefeitura. Mas o código autoriza o Poder Executivo a firmar um convênio. Bastaria delegar essa função à PM”, disse Ikeda.

Os vereadores pediram que os policiais militares explicassem como funcionaria a Atividade Delegada. Pelo projeto de lei aprovado na Câmara, cada policial ganharia R$ 19,08 por hora. A carga horária não pode passar de oito horas. Os PM sugerem que o valor seja de R$ 21.

O Vale

Publicado em: 04/04/2013

Helicópteros da Polícia Militar ganham homenagem

Para incentivar o trabalho dos policiais que combatem o crime lá de cima, o grupamento aéreo da Polícia Militar criou uma homenagem ao funcionário do mês.
Cerca de 30 policiais que trabalham no helicóptero Águia, responsável por resgates e perseguições em toda a região, são avaliados por oficiais do CPI-1 (Comando de Policiamento do Interior) ao longo do mês.
A escolha funciona da seguinte maneira: os 30 policiais são divididos em duas equipes. Oficiais escolhem um funcionário de cada time. Dos dois selecionados, um acaba apontado como funcionário do mês pelo comando da PM.
O cabo Marcio Antonio Ferraz de Araujo, 37 anos, foi escolhido o funcionário de agosto. Ele teve participação decisiva nas buscas pelos destroços de um ultraleve que, no final de julho, caiu na Serra do Mar. O acidente matou um homem de 62 anos, que fazia o trajeto Ubatuba-Atibaia.
Araújo foi chefe da equipe que fez as buscas.
A PM ainda estuda a melhor forma de homenagear o policial. Mas, independente disso, Araujo já comemora a escolha.
“Fiquei muito feliz, porque valoriza o trabalho da gente. Dá mais força para trabalhar”, disse o policial, que está na PM há 12 anos e integra o grupamento aéreo desde 2008.
“Temos o nosso comportamento observado durante o mês todo. Depois, no fim, eles somam tudo e fazem a escolha. Isso é muito importante”, completou o policial.

Iniciativa. O tenente Danilo Argollo foi um dos responsáveis pela homenagem aos policiais que se destacam no serviço diário. De acordo com ele, outras bases da PM já escolhem o melhor do mês, porém de maneira discreta.
“É uma maneira de homenagear. A escolha do funcionário do mês não é de agora. É que isso não era bem divulgado”, afirmou o tenente.
“O escolhido deste mês merece essa homenagem, porque tem feito um bom trabalho pela PM”, completou Argollo, que ainda estuda qual será a homenagem a Araújo.

Tropa do Haiti

A partir do próximo dia 1º de setembro, 810 novos soldados brasileiros embarcam para mais uma etapa da missão de paz no Haiti e mais da metade desta tropa será representada por militares do Vale do Paraíba.

Serão 435 militares dos batalhões de Caçapava, Lorena, Taubaté, Pindamonhangaba e São José dos Campos, que irão integrar a missão de paz que tem sido realizada no Haiti pelo Exército Brasileiro e pela ONU (Organização das Nações Unidas) desde abril de 2004.

Os soldados, que estão passando por treinamento específico para atuar no Haiti desde fevereiro deste ano, irão em grupos de cerca de 130 pessoas. Eles sairão da base área da capital entre os dias 1º e 19 de setembro e devem permanecer alojados e atuando em Porto Príncipe, capital do país, até fevereiro do ano que vem.

Segundo o tenente-coronel Sérgio Ricardo Curvelo Lamellos, responsável pelo setor de comunicação do Batalhão de Caçapava, além dos exercícios práticos todos os homens que embarcarão para o Haiti em setembro passaram por avaliação psicológica e física.

Treinamentos. Entre os dias 1º e 12 de agosto, o Exército realizará o Exercício de Operação de Paz na região de Caçapava, parte final do trabalho preparatório para a missão.

Ainda segundo Lamellos, as técnicas elaboradas para o exercício ajudarão os militares a desenvolver métodos e processos nas áreas de logística, comunicações e operações militares, dentre outras. Também foi aplicada doutrina operacional que será de vital importância para o seu emprego durante a execução da missão de paz.

Atividades. A fase de preparação tem duração igual ao tempo em que o batalhão permanecer no país no caso, seis meses para que eles cheguem em condições de atuar imediatamente. No Haiti, os brasileiros irão coordenar e executar diversas atividades em todo o país, principalmente na capital Porto Príncipe.

Entre as atividades previstas para o grupo estão missões de segurança, patrulhamento diurno e noturno, ajuda humanitária nas regiões ainda devastadas pelo terremoto e engenharia especializada.

No início do ano passado, o Haiti foi devastado por um terremoto de 7 graus na escala Richter que deixou pelo menos 222 mil mortos em todo o país. Entre as vítimas do desastre estavam dez homens do 5º Batalhão de Infantaria de Lorena que integravam outra equipe da missão de paz.

O Vale