CCR NovaDutra tem projeto para transformar Rodovia

A CCR NovaDutra e a Ernst & Young Terco apresentaram ontem em Brasília projeto para transformar a rodovia Presidente Dutra na primeira estrada sustentável do Brasil. Para isto, ]até o final deste semestre, a intenção é criar o Instituto Estrada Sustentável. A previsão é de que sejam aplicados R$ 6 milhões anuais paras ações do programa em um prazo de cinco anos. O primeiro balanço será feito em 2014.

O plano foi debatido no 2° Encontro de Municípios com o Desenvolvimento Sustentável Desafios dos novos governantes locais, em painel mediado pelo prefeito de São José dos Campos, Carlinhos Almeida (PT). Ricardo Catto, sócio da Ernest & Young Terco, uma das parceiras do empreendimento, disse que a transformação da Dutra em estrada sustentável envolve a implementação de ações em sete eixos: segurança viária, resíduos, educação, empreendedorismo, mobilidade, infraestrutura verde, saúde e alimentação.

O projeto extrapola a rodovia e envolve os 36 municípios do eixo da estrada entre Rio e São Paulo. No quesito segurança viária, por exemplo, a proposta é melhorar os postos de serviço da rodovia, para o acolhimento do usuário, redução de acidentes com vítimas, redução do custo social para os municípios nas áreas de saúde e previdenciária.

Na área de educação, o foco é conscientizar o usuário para o destino correto do lixo, para que não seja jogado na rodovia. A Ernst identificou 50 grandes empresas do eixo da Dutra que desenvolvem projetos ligados à sustentabilidade, mas aponta que não há interação entre os programas.

Catto citou como exemplo programas de saúde de caminhoneiros. “Além da CCR NovaDutra, há outros programas para os caminhoneiros, mas executados distintamente. Queremos que haja sinergia entre os projetos”, disse. No total, a Ernst aponta que é possível implementar 430 projetos sustentáveis que podem mudar o panorama da rodovia e entorno. “Estamos em busca de parcerias privadas e governamentais”, disse Catto.

Especialistas em transportes apontam que a sustentabilidade da rodovia está vinculada ao conforto e segurança do usuário. “A sustentabilidade passa, por exemplo, pela ampliação da capacidade da estrada”, disse o professor Nilson Santos, da Unitau, cuja opinião é partilhada por Ronaldo Garcia, da Univap. “É fundamental que a Dutra não seja apenas um marco de desenvolvimento econômico, mas que possamos ganhar em sustentabilidade e qualidade de vida”, disse o prefeito Carlinhos Almeida. A diretora de Transportes da Prefeitura de Taubaté, Dolores Pino, disse que o município apoia a iniciativa.

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) passou a disponibilizar em sua página um mapeamento georeferenciado com detalhes de todas as rodovias federais concedidas. A primeira rodovia na página da ANTT é a Via Dutra.

O mapa oferece informações como localização de postos de combustíveis, praças de pedágio, postos da Polícia Rodoviária Federal, bases operacionais, postos de pesagem (quando existentes na rodovia), controladores de velocidade, e dos postos de Serviços de Atendimento ao Usuário. Com essas informações, o motorista pode ajustar seu aparelho de GPS e planejar melhor a viagem, paradas para abastecer e se alimentar.Caso o usuário precise de apoio do Serviço de Atendimento ao Usuário ou da Polícia Rodoviária Federal, ao consultar o site, ele saberá em qual ponto da rodovia encontrará o serviço.

Para ter acesso ao serviço, o usuário pode acessar o site da ANTT, clicar na aba infraestrutura e, em seguida, em concessões rodoviárias. A NovaDutra também oferece uma série de serviços para orientar os usuários, como informações on-line da situação do tráfego ao longo da estrada, se há acidentes e cuidados com os trechos onde há obras, entre outras.

O Vale

Publicado em: 25/04/2013

Feriado tem indice baixo de mortes na estrada

O balanço da Operação Independência 2012 revelou queda de 38,03% no número de acidentes nas estradas que ligam o Vale do Paraíba ao Litoral Norte e à Serra da Mantiqueira. Entre a quinta-feira e domingo do feriado, foram 88 acidentes, com 65 feridos e 2 mortes nas rodovias do Tamoios (SP-99), Oswaldo Cruz (SP-125) e Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123).

Como o feriado do ano passado caiu em uma quarta-feira, a PRE comparou os dados de 2012 com 2010 quando ocorreram 142 acidentes, com 75 feridos e cinco mortes. Este ano, os acidentes com vítimas fatais aconteceram na Tamoios e na Estrada Velha Rio-São Paulo, no trecho de Roseira, entre a sexta-feira e a noite e sábado. Ainda durante o feriado, os policiais fizeram 1.288 autuações, 67 recolhimentos de veículos e 12 registros de motoristas embriagados.

Devido às obras de duplicação, a rodovia dos Tamoios apresentou tráfego lento em vários trechos. Na sexta-feira, por exemplo, uma viagem de 1h30 entre São José dos Campos e Caraguatatuba levava quase 3 horas para ser percorrida.

Na volta, no domingo, a viagem durou cerca de 4h em alguns momentos do dia. Na Oswaldo Cruz, entre Ubatuba e Taubaté, o trecho era percorrido em até 4h30. “Foi complicado e cansativo, mas já peguei trânsitos piores nessa serra de Ubatuba”, disse Jeferson Vezaro, 32 anos, administrador de empresas, que escolheu viajar no domingo à noite para fugir do congestionamento do dia.

Na rodovia Presidente Dutra, principal corredor do Vale do Paraíba, foram registrados 56 acidentes durante o feriado prolongado, com 31 feridos e uma morte um homem atropelado na madrugada do último sábado, na altura do km 161 em Jacareí.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) usou como comparação o feriado da Semana Santa deste ano, que se estendeu de 5 a 8 de abril. Na ocasião, ocorreram 43 acidentes, com 18 feridos e 2 mortes. Segundo os policiais rodoviários, o Grito dos Excluídos no Santuário Nacional de Aparecida, na última sexta-feira, gerou até nove quilômetros de lentidão no sentido Rio de Janeiro da via Dutra. “Nos horários de pico, chegamos a registrar até 5.600 veículos por hora na rodovia no sentido capital-interior”, disse o inspetor Waldiwilson dos Santos, responsável pela 6ª delegacia da PRF em Taubaté.

O Vale

Estrada da Água Soca recebe reparos da Prefeitura

A Secretaria de Serviços Municipais (SSM) vem fazendo a manutenção da ponte de madeira na Estrada da Água Soca, área rural da região norte. A manutenção envolve a troca das longarinas, recomposição do piso e corrimão.

A ação tem como objetivo garantir a segurança daqueles que utilizam a ponte para fazer os trajetos. A passagem pelo local já está liberada, porém a finalização dos serviços está prevista para esta sexta-feira (4). Depois que o serviço for concluído, a equipe de manutenção e reparos em pontes de madeira da regional norte executará os trabalhos 5 km à frente, numa outra ponte, da mesma estrada.

Prefeitura Municipal

Trecho duplicado da Estrada Velha é liberado na cidade

A Prefeitura de São José dos Campos liberou nesta segunda-feira (26) o trecho duplicado após o viaduto da Kanebo, no Parque Industrial, para o tráfego de veículos. As duas novas faixas foram liberadas ao trânsito para que o trecho da Avenida Dr. João Batista de Sousa Soares (antiga estrada-velha), entre o viaduto e Rua Quixadá, possa ser interditado.

Durante a interdição será realizada a pavimentação do trecho, que faz parte das obras de alargamento e duplicação do viaduto Kanebo. Os trabalhos no local começaram em dezembro do ano passado para a abertura de três faixas de rolamento e uma de conversão em cerca de 500 metros de extensão de vias. O investimento é de R$ 9.738.819,23.

O acesso às novas faixas de rolamento estará sinalizado e nos primeiros dias da obra de pavimentação da Avenida Dr. João Batista de Sousa Soares, agentes de trânsito estarão no local para orientar os motoristas.

Prefeitura Municipal