Secretária de Transporte colocara placa em inglês na cidade

A Secretaria de Transportes de São José dos Campos vai ampliar o número de placas indicativas com sinalização bilíngue nas vias urbanas na cidade. A intenção é instalar os dispositivos nas principais vias de acesso ao município, como as avenidas Mário Covas e Jorge Zarur.

Segundo o diretor de trânsito da pasta, Paulo Guimarães, o projeto será colocado em prática em 2013. “Mesmo sendo um outro governo, a equipe técnica da secretaria continua”, disse. Não foi informado o custo para a colocação das novas placas e nem a quantidade estimada de trocas que serão feitas.

Desde julho, 42 placas com inscrições em português e inglês foram instaladas nas vias indicando pontos turísticos ou de referência da cidade, como parques e prédios públicos. Entre as indicações, estão Burle Marx Park/City Park (Parque da Cidade, em Santana, zona norte), Dowtown (centro) e City Hall (Paço Municipal).

A sinalização com linguagem bilíngue facilita a localização de estrangeiros e visa a participação da cidade como sub-sede da Copa do Mundo de 2014. “Tudo começou com a necessidade substituição das placas, já que elas têm vida útil de sete anos. Nesse contexto, surgiu a ideia dos termos estrangeiros”, disse Guimarães.

Além das placas bilíngues, o programa de revitalização substituiu outras 28 placas por modelos com películas em que é possível avistar a indicação de vias a uma maior distância. As trocas foram feitas no complexo do Anel Viário. “Ficaram bem melhor, elas são mais visíveis, principalmente à noite. Poderia espalhar essas placas para mais lugares”, disse o motorista de ônibus, Robson de Lima, 41 anos.

O Vale

Publicado em: 08/11/2012

Prefeitura da cidade inicia troca de Radares da cidade

A Prefeitura de São José dos Campos iniciou a troca do sistema de fiscalização eletrônica do trânsito o que deixará algumas das principais avenidas da cidade sem radar fixo por cerca de 15 dias. A substituição ocorre porque acabou o prazo do contrato com a empresa que operava há seis anos o sistema. Um novo contrato deve ser assinado na próxima segunda-feira e, após assinatura, a empresa terá prazo de 30 dias (até 20 de julho) para instalar os novos equipamentos de fiscalização.

Das 54 plataformas que abrigavam os sete radares fixos que operavam na cidade, 20 já foram retiradas em avenidas como Cidade Jardim, Andrômeda, George Eastman e Guadalupe (todas na zona sul) e Nelson D’Ávila (centro).

Paulo Guimarães, diretor da Secretaria de Transportes, afirmou que oito avenidas estão temporariamente sem radar. Segundo ele, os motoristas não devem abusara da velocidade porque nesses locais será reforçado a fiscalização com radares móveis.

“O contrato com a empresa que opera os radares móveis e as lombadas eletrônicas ainda está vigente”, afirmou. São José possui dois radares móveis. O novo contrato foi assinado pelo valor de R$ 2,6 milhões e tem previsão inicial de durar dois anos. Entre as mudanças previstas está o aumento do número de pontos fiscalizados e o uso de tecnologias de leitura de placas.

“Com os novos equipamentos será possível estabelecer o tempo médio de viagem do motorista por meio da leitura da placa e quando esse tempo começar a ficar baixo uma viatura de agente de trânsito será enviada ao local”, disse. A tecnologia permitirá que a prefeitura localize ainda carros roubados ou com licenciamento e IPVA atrasados. Segundo o contrato, as plataformas que abrigam os radares fixos passaram de 54 para 74.

Motoristas de São José estranharam a retirada dos radares. “Estava achando que a prefeitura tinha diminuído o suporte da fiscalização”, afirmou o comerciante Silvio Gomes, 54 anos. Dados da prefeitura apontam que, em média, 433 motoristas são flagrados por dia cometendo alguma irregularidade no trânsito da cidade. Entre as principais infrações está o excesso de velocidade.

O Vale

Prefeitura da cidade decide ampliar Radares de Fiscalização

A Prefeitura de São José dos Campos vai ampliar a fiscalização eletrônica do trânsito no município. O sistema terá mais radares e plataformas de fiscalização. O número de vias monitoradas será ampliado.

Os radares fixos passarão de sete para 12, os controladores de avanços de sinal vermelho pularam de 3 para 4 e as lombadas eletrônicas, de 2 para 4. O número de radares móveis continuam sendo os dois de sempre. As plataformas para radares fixos (os postes) serão ampliadas de 53 para 74.

O secretário municipal de Transportes, Anderson Farias Ferreira, disse ontem que o novos sistema terá duas novidades tecnológicas. Os radares fixos terão câmera de vídeo para monitorar on-line as avenidas e ruas. “Vai permitir maior controle das vias fiscalizadas”, disse o secretário.

Todos os equipamentos terão também um sistema denominado de OCR, que permite identificar a placa do veículo. Segundo o secretário, essa novidade será um instrumento importante para identificar veículos furtados. “A polícia informará ao CCO (Centro de Controle Operacional do sistema) a placa de veículos furtados e quando o radar identifica-lo pela placa os operadores imediatamente acionarão os policiais”, disse.

A licitação para a operação do sistema será lançada no sábado, segundo o secretário. Ele relatou que ainda não está fechado o valor, mas a previsão é de cerca de R$ 4,2 milhões por 24 meses. O contrato em vigor com as empresas Fotossensores e Splice, que operam o sistema, termina no final de junho.

Ferreira informou que mais ruas e avenidas da cidade serão monitoradas. Somente com os radares móveis é possível fiscalizar, em média, 33 vias por mês em sistema de rodízio.

Ele citou que estão nos planos da pasta ampliar a fiscalização nas avenidas Tancredo Neves (região leste), Cidade Jardim e Salinas (região sul). Vão ser incluídas no sistema a avenida Rui Barbosa e a Via Norte, na zona norte, e a estrada do Mato Dentro, na região leste. Dados da pasta apontam que, em média, 433 motoristas são flagrados por dia cometendo alguma irregularidade no trânsito da cidade. “A maioria das infrações, 70%, é por excesso de velocidade”, disse.

O Vale

Prefeitura cria faixa apenas para ônibus na cidade

Quatro avenidas de São José dos Campos terão duas faixas destinadas à circulação dos ônibus sendo que uma será para o fluxo exclusivo e a outra, preferencial. É o que prevê projeto da prefeitura que irá implantar as faixas especiais nas avenidas João Guilhermino, São José, Francisco José Longo e São João esta última perderá as vagas de estacionamento, assim como a Paraibuna e a Adhemar de Barros.

O objetivo do projeto, denominado ‘Corredores’, é agilizar a viagem dos coletivos, que hoje não passam da velocidade de 11,5 km/h em alguns corredores da região central no horário de pico. O plano contempla ainda a construção de estações de pré-embarque que permitirão aos usuários pagar a tarifa antes de entrar no ponto de ônibus. A meta é tornar o embarque mais rápido porque os passageiros vão entrar pelas portas traseiras.

A Secretaria de Transportes informou que as faixas preferenciais servirão para possibilitar as ultrapassagens dos ônibus. “O transporte público não poderá circular por estas faixas (preferenciais), da mesma forma que os demais veículos não poderão transitar pelas faixas exclusivas”, diz trecho da nota. De acordo com a pasta, nas faixas preferenciais, os ônibus só poderão realizar manobras de acessos e conversões.

A prefeitura informou ainda que as faixas exclusivas não funcionarão 24 horas por dia e sim em determinados horários, não foram informados ontem. As mudanças devem começar a ser implementadas neste ano. Usuários que dependem do transporte público aprovam a criação dos corredores exclusivos de ônibus. Alguns enfrentam uma maratona de mais de uma hora para conseguir ir ao trabalho.

Segundo eles, além de agilizar a viagem, a medida irá tornar o sistema mais seguro. “Os carros e vans ultrapassam os ônibus o tempo todo e as vans fazem isso de um jeito perigoso porque querem chegar primeiro no ponto”, disse a dona de casa Ana do Carmo Marcelino, 48 anos, da zona norte.

Para o motorista Maurinaldo José da Silva, 45 anos, os corredores especiais devem vir com outras melhorias. “É preciso organizar o sistema e colocar mais linhas”, disse. Silva leva uma hora e 20 minutos para ir do Putim (sudeste), onde mora, ao Colonial (sul), onde trabalha. O projeto também prevê que criar uma faixa exclusiva para os ônibus na segunda pista da direita da avenida Adhemar de Barros.

O Vale

Prefeitura tira estacionamento de avenidas para dar lugar a ônibus

A Prefeitura de São José dos Campos vai proibir o estacionamento em três dos principais corredores da região central Paraibuna, São João e Adhemar de Barros. A proibição envolve o estacionamento público em toda a extensão das três avenidas que ligam o centro às zonas sul e oeste. O número de vagas oferecidas hoje nessas vias não foi informado.

A medida é necessária para criar os corredores exclusivos de ônibus com objetivo de agilizar as viagens do transporte público. A proposta da prefeitura, criticada pelos comerciantes, é deixar as faixas de rolamento livres para o fluxo para que uma das pistas seja separada para a circulação exclusiva dos ônibus.

A proibição faz parte de um pacote de mudanças no sistema que prevê ainda construir estações de pré-embarque para que o usuário antecipe o pagamento da passagem para o ponto. O plano prevê ainda mudar o itinerário de algumas linhas e reposicionar os pontos de ônibus. As alterações, que vão começar este ano, irão afetar ao todo 13 corredores do centro.

O especialista em trânsito, Ronaldo Garcia, disse que a proibição dos estacionamentos deve ser acompanhada de obras para a construção de novas vias. “A medida é importante para aumentar a velocidade média dos ônibus, já que no meio do tráfego eles ficam prejudicados. Só que na Adhemar de Barros, a ação vai contra a proposta dos comerciantes de fazer da via um centro comercial”, disse.

Segundo ele, na São João, o ideal é que o estacionamento fosse proibido em apenas alguns trechos. “É uma via larga, não precisa proibir em toda a sua extensão.” Além de perderem as vagas, as três avenidas vão passar por outras mudanças viárias. Saturada, a Paraibuna deverá sofrer as mudanças mais significativas e ganhar uma nova faixa.

O Vale

Zona leste da cidade terá avenidas com velocidade reduzida

Os motoristas que utilizam as avenidas Pedro Friggi e General Motors, na região leste de São José dos Campos, devem estar atentos aos novos limites de velocidade que será reduzida de 70km/h para 60km/h, a partir desta segunda-feira (26). A medida será adotada para garantir maior segurança a motoristas e pedestres.

Neste final de semana, começam a ser colocadas placas de sinalização com os novos limites nas vias. A velocidade muda em toda a extensão da Avenida General Motors. Na Pedro Friggi, que já tem trechos com velocidade com 60km, a alteração será no trecho entre a Rua Argentina, no Vista Verde, até a Rua das Peônias, no Jardim Motorama.

De acordo com dados da Secretaria de Transportes, a maioria dos acidentes envolvendo veículos poderia ser evitada ou ter conseqüências menos graves se ocorressem em velocidades menores. A fiscalização na via começará dentro de um mês.

Prefeitura Municipal

Cidade depende de 13 avenidas-chaves em São José

A mobilidade urbana em São José depende de 13 avenidas recordistas nos principais índices de trânsito, como fluxo de veículos, travessia de pedestres e circulação das linhas de ônibus. As vias se destacam entre as 7.449 ruas e avenidas que compõem a malha viária urbana por terem papel fundamental no tráfego de motoristas e pedestres.

Juntas, elas recebem cerca de 234 mil veículos por dia o que representa 70% de toda a frota do município e abrigam 142 pontos de ônibus. Elas ainda são líderes na quantidade de travessias para atender aos pedestres. A concentração da demanda das diferentes modalidades de transporte em poucas avenidas causa lentidão no tráfego e está diretamente ligada ao risco de acidentes, segundo o especialista em trânsito Ronaldo Garcia.

“O registro de acidentes está diretamente ligado à quantidade de interações de trânsito e a incapacidade da via de absorver tanta demanda. Em São José temos muitos casos de vias que têm muitos carros, ônibus e pedestres ao mesmo tempo. É preciso mudar esse cenário”, disse.

O Anel Viário aparece como o complexo mais necessário para a mobilidade urbana. É composto pelas avenidas pelas avenidas Teotônio Vilela (Fundo do Vale) e Florestan Fernandes e tem ligações com a avenida Jorge Zarur (marginal do Vidoca).

Em seguida aparece a principal via de ligação à zona sul, a avenida Cidade Jardim, recordista em cruzamentos, pontos com semáforos e em faixas para a travessia de pedestres. No mesmo patamar está a avenida Tancredo Neves, na zona leste.

Elas também são as avenidas mais extensas da cidade com 6,5 e 5 quilômetros de extensão, respectivamente. Dado preliminar da pesquisa origem-destino apresentado pela prefeitura em 2011 mostra que frota ocupa hoje 60% da malha viária, que está próximo da saturação. O levantamento final será divulgado em abril.

O Vale

Trânsito no Parque Industrial será alterado

A Prefeitura de São José dos Campos vai alterar neste domingo (13) o sentido de circulação das ruas Penedo, Parintins e José Francisco Pereira Sales, no Parque Industrial, região sul da cidade. As vias passarão a ter sentido único de circulação com o objetivo de trazer mais segurança aos motoristas e pedestres que circulam pelo local, além de melhorar a fluidez no trânsito.

O tráfego na Rua Penedo funcionará no sentido Avenida Bacabal. Já nas ruas Parintins e José Francisco Pereira Sales o trânsito seguirá em direção à Avenida Itabaiana. Faixas foram colocadas em pontos estratégicos para alertar os motoristas sobre as mudanças.

Com a alteração, a linha 320 (Parque Industrial-Praça Afonso Pena) deixará de atender os pontos de ônibus localizados nas ruas Penedo e Raimundo Barbosa Nogueira em viagens com sentido Satélite. Os usuários deverão embarcar e desembarcar no ponto da Rua José Cobra próximo do hospital de Clínicas Sul.

As alterações estarão devidamente sinalizadas para orientar os usuários.

Fonte: Prefeitura Municipal de São José dos Campos

Duplicação do Viaduto Kanebo vai interditar trânsito

A obra de duplicação do Viaduto Kanebo, que liga o Anel Viário à estrada velha Rio-São Paulo, vai exigir três grandes interdições viárias em ruas e avenidas da zona sul de São José dos Campos.

Os serviços tiveram início em setembro e vão fazer com que o viaduto passe a contar com quatro faixas de rolamento, sendo três de circulação e uma somente para a aceleração dos veículos.

Hoje, são apenas duas faixas e o motorista que quer acessar a estrada velha tem que esperar uma ‘brecha’ no tráfego no Anel Viário.

As interdições viárias que estão em fase de programação irão prejudicar ainda mais o fluxo na região de acesso ao Parque Industrial que já sofre com congestionamento no horário de pico.

A prefeitura informou que os bloqueios em ruas e avenidas da zona sul devem ocorrer no início de 2012 e irão interferir inclusive no tráfego da via Dutra, uma das maiores rodovias do país.

A previsão da prefeitura é que a obra de duplicação seja concluída em maio do próximo ano, após oito meses de serviço. Este é o segundo cronograma anunciado pela prefeitura. Inicialmente, os serviços iriam começar no segundo semestre de 2010 para acabar em 10 meses.
A duplicação vai consumir R$ 8,3 milhões e será feita pela empresa Construções, Engenharia e Pavimentação (Enpavi), que tem sede em São Paulo.

Além da duplicação do viaduto sentido bairro, a obra vai contemplar o alargamento da estrada velha até a rua Quixadá (próximo a sede do Departamento de Estradas de Rodagem).

Em um trecho de 500 metros de extensão, serão abertas três faixas de rolamento e uma faixa de conversão para desafogar o trânsito.

Segundo a Secretaria de Transportes, a duplicação do viaduto começou pelas obras de drenagem, que já foram iniciadas. Também está sendo feita a liberação de áreas, além da construção dos novos muros. Durante o pico, o Kanebo recebe cerca de 10 mil carros/dia.

Fonte: O Vale

Melhorias nas Avenidas

A Prefeitura de São José dos Campos está fazendo o recapeamento de várias ruas da cidade. Nesta semana, os trabalhos começaram na Avenida Barbacena e na Estrada Municipal Martins Guimarães, ambas na região leste. Com as melhorias, motoristas e pedestres terão mais segurança para transitar pelos locais.

Serão 1.450 metros de nova camada asfáltica. O trecho que receberá a manutenção vai desde o início da Avenida Barbacena, no Jardim Ismênia, seguindo por toda a extensão da Estrada Martins Guimarães, na Vila Tesouro. A previsão para conclusão dos trabalhos é de 30 dias. O valor da obra é de R$ 414 Mil.

Em 2011, a Prefeitura concluiu, na zona leste, o recapeamento da Rua Rio Tibagi, no Pararangaba e da Rua Carmerino Pereira dos Santos, Jardim Motorama. Também receberam manutenção as alças de entrada e saída da Rodovia Presidente Dutra.

Na região sul as obras incluem três ruas, todas no Jardim Satélite. As ruas Estrela D’alva e Galícia terão o asfalto recapeado em toda a extensão. Já a Rua Lira, além do recape, as guias e sarjetas nos 450 metros da via serão refeitas. A conclusão da obra está prevista para o final de setembro. O custo total será de R$ 303 Mil.

Neste ano, já foi concluída a manutenção asfáltica da Avenida Maria de Lourdes Medeiros Assis, no Campo dos Alemães. Também foram finalizadas a obra de pavimentação de mais um trecho da Rua Waldemar Teixeira, no Parque Interlagos, e o recapeamento asfáltico da Avenida Leonor de Almeida Ribeiro Souto (Estrada do Imperador), no Jardim Colonial.

A obra da ciclovia da Estrada do Imperador deve estar concluída em 60 dias.

Prefeitura Municipal