São José vai debater projeto do VLT em audiência pública

A Secretaria de Transportes de São José dos Campos promoverá audiência pública este mês para apresentar o projeto do VLT ( Veículo Leve Sobre Trilhos) à comunidade. O edital foi publicado ontem e a audiência será no dia 21 no Teatro Municipal. No edital não consta o horário do evento. Segundo a pasta, a audiência pública representa o início do processo licitatório da implantação do VLT. Na primeira etapa, pela proposta divulgada anteriormente pelo governo, o novo sistema de transporte público terá 15 quilômetros de extensão e será implantado entre o Campo dos Alemães até as proximidades do Vale Sul Shopping, na região sul. O projeto prevê que esse trecho do sistema passará pela região do Bosque dos Eucaliptos e Jardim Satélite até a Via Dutra, tendo como eixo a avenida Andrômeda.

Na audiência, a pasta irá mostrar as diretrizes básicas do projeto funcional do VLT. O secretário de Transportes, Wagner Balieiro, informou em nota que serão mostrados, por exemplo, propostas de traçado. Ele explicou que o projeto funcional antecede ao projeto básico do sistema, outra etapa a ser cumprida. “A expectativa é ter a participação da comunidade conhecendo as diretrizes de um projeto de mobilidade urbana”, afirmou o secretário Balieiro na nota enviada pela sua assessoria. Eventualmente, contribuições coletadas na audiência pública poderão determinar mudanças nas diretrizes do VLT, informou o secretário. Após essa fase, a Secretaria de Transportes irá proceder a contratação de empresa para a elaboração do projeto e execução da obra. De acordo com o secretário, a expectativa é que o sistema possa operar no primeiro semestre de 2016.

Para viabilizar a primeira etapa do VLT, o município firmou operação de crédito com o governo federal no valor de R$ 800 milhões. Os recursos financeiros são do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) da Mobilidade Urbana. Para o orçamento de 2014, está previsto repasse de R$ 111 milhões, com uma contrapartida de R$ 5 milhões do governo municipal. Segundo dados divulgados do projeto do VLT, a população que será atendida direta e indiretamente nesta primeira fase é de cerca de 215 mil habitantes. A capacidade do sistema é para transportar até 495 mil passageiros por dia. Os estudos para a criação de um sistema complementar de transporte de massa em São José foram iniciados na gestão do ex-prefeito Eduardo Cury (PSDB). O modelo resultou de trabalho feito pelo Ipplan (Instituto de Planejamento).

Passagem do Mêtro deverá ser de preço acessível

Leia os principais trechos da entrevista concedida pelo prefeito de São José, Carlinhos Almeida, sobre o projeto VLT:

Após a aprovação do VLT pelo governo federal, quais os próximos passos da prefeitura?
O próximo passo é assinar o contrato e fazer todo o encaminhamento da documentação ao Ministério das Cidades. A partir dessa etapa, vamos contratar o projeto do VLT e da obra, que deve ser feita em quatro anos.

O senhor acredita que o lançamento do edital para a elaboração do projeto pode ocorrer este ano?
Queremos avançar este ano na parte do projeto. Se não concluir, pelo menos começar a elaborar o projeto básico e executivo do sistema do VLT.

A região sul foi escolhida por ser a mais populosa e a de maior demanda de transporte?
Estamos começando pela zona sul porque a região tem 400 mil deslocamentos diários. A nossa ideia é que, com o tempo, o VLT avance para outras regiões da cidade, não só com recursos do governo federal, mas com parceria com a iniciativa privada e até mesmo com o governo do Estado.

Nesse primeiro trecho, o VLT vai ser integrado ao transporte de massa que existe hoje?
Necessariamente, tem que haver integração através do Bilhete Único. O novo sistema vai funcionar no grande eixo que temos na zona sul, que é o eixo da avenida Andrômeda.

Já existe previsão de qual será o valor da tarifa?
Nesse momento, não há como prever o valor da tarifa. É um projeto para quatro anos. É evidente que a tarifa terá que estar muito próxima a do transporte coletivo. A tarifa tem que ter um valor que viabilize a operação do sistema e seja acessível à população.

Haverá necessidade de desapropriação de áreas?
Se houver, será muito pequena. A linha vai aproveitar o leito já existente no eixo da Andrômeda. Vamos aproveitar as áreas do canteiro central.

A obra seria para começar em 2015?
Não gostaria de estabelecer uma data para o início da obra, claro que não vai ser este ano. A nossa meta é quatro anos.

O Vale

Publicado em: 08/03/2013

Primeira Etapa do Transporte Férreo termina em 2014

O início da obra do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) de São José dos Campos ainda depende da elaboração do projeto básico e executivo, que pode levar até um ano para ficar pronto. A Secretaria Municipal de Transportes informou ontem que a prefeitura tem prazo de um ano, a contar da data de aprovação da proposta do novo sistema de transporte de massa pelo governo federal, publicada anteontem, para apresentar o projeto básico do VLT ao Ministério das Cidades, condição essencial para a viabilização do empreendimento.

A prefeitura também não tem certeza absoluta se a verba de R$ 800 milhões liberada pela presidente Dilma Roussef (PT) será suficiente para a implantação do primeiro trecho do novo sistema de transporte. Pela proposta aprovada, a primeira linha do VLT atenderá a zona sul, com 15 quilômetros de extensão. Começa na região dos bairros Dom Pedro 2° e Campo dos Alemães, prossegue pelo Bosque dos Eucaliptos e Jardim Satélite até a Via Dutra, nas proximidades do Vale Sul Shopping. O eixo principal será a avenida Andrômeda.

O prefeito Carlinhos Almeida (PT) disse que o custo final do primeiro trecho será conhecido após a elaboração dos projetos básico e executivo. “Nesse primeiro trecho, os estudos indicam que o recurso disponibilizado é suficiente. É importante deixar claro que ainda não temos o projeto. Quando o projeto for feito iremos apurar o valor real, que pode inclusive cair”, afirmou.

Na próxima semana, o secretário de Transportes, Wagner Balieiro, vai se reunir com representantes da Caixa Econômica Federal para tratar da burocracia do contrato para a liberação do dinheiro. O banco será o agente financeiro do empreendimento, uma vez que a verba será liberada por meio de financiamento, com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Segundo estimativa da prefeitura, o primeiro trecho do VLT deve entrar em operação em quatro anos após o início da obra.

O Vale

Publicado em: 08/03/2013

Presidente libera verba para criação de trem na cidade

O governo federal aprovou ontem a liberação de R$ 800 milhões para a construção do primeiro trecho do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) de São José dos Campos. O anúncio foi feito pela presidente Dilma Rousseff (PT), no Palácio do Planalto. O projeto do VLT foi contemplado pelo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) de Mobilidade.

A verba contempla o desenvolvimento de estudos de viabilidade, do projeto e a obra do VLT, em um prazo estimado de quatro anos. O trecho selecionado vai atender a região sul da cidade e tem cerca de 15 quilômetros. Começa na região dos bairros D. Pedro 2° e Campo dos Alemães, passa pela região do Bosque dos Eucaliptos e Jardim Satélite até a Via Dutra, em frente ao Vale Sul Shopping a partir de então, a meta do governo é interligá-lo nas etapas seguintes do projeto ao centro e, posteriormente, à região leste.

Segundo a prefeitura, a população que será atendida direta e indiretamente nesta primeira fase é de cerca de 215 mil habitantes. Presente ao evento em Brasília, o prefeito Carlinhos Almeida (PT) disse que foram feitas adequações ao projeto original do VLT, elaborado pelo Ipplan (Instituto de Pesquisa, Administração e Planejamento) no governo do ex-prefeito Eduardo Cury (PSDB), para facilitar a aprovação da proposta pelo Ministério das Cidades.

“A zona sul é a que tem maior demanda. São cerca de 400 mil deslocamentos diários nos bairros da região e em direção ao centro”, afirmou o prefeito. Carlinhos destacou que o VLT é um projeto de longo prazo e vai ser implantado em módulos. “É um projeto de fôlego que não será implantado apenas em um mandato”, frisou.

O projeto inicial elaborado pelo Ipplan prevê a criação de um metrô de superfície com 94 quilômetros de extensão, dividido em 8 linhas. O estudo tem como horizonte o crescimento de São José até 2030. Também foi aprovada uma verba de R$ 26,8 milhões para pavimentação e qualificação de vias urbanas de São José.

O Vale

Publicado em: 07/03/2013