Futebol Feminino busca vaga na Semifinal Paulista

No Campeonato Paulista de futebol feminino, o São José manteve as chances de chegar às semifinais. Na tarde deste domingo, visitando o Audax Osasco, conseguiu uma nova vitória sobre o adversário pelo placar de 1 a 0 e segue perseguindo os favoritos Santos e Rio Preto.

No quadrangular que classificará os dois melhores às semifinais, o São José começou com derrotas, em casa, para o Santos, por 2 a 0 e fora, para o Rio Preto, por 3 a 1. Consequentemente, passou a ter a necessidade de vencer as duas partidas consecutivas contra o Audax Osasco, também derrotado nas duas rodadas iniciais pelos times rio-pretense e santista.

No domingo passado, no Martins Pereira, o São José recebeu o Audax e venceu por 1 a 0. O gol veio em um pênalti cobrado pela meia-campista Rita Bove e sofrido pela atacante Michele Carioca. E neste domingo, no estádio José Liberatti, em Osasco, o time joseense voltou a vencer por 1 a 0, gol da volante Pepê Lopes, aos 9 minutos do segundo tempo.

No sábado à tarde, o returno do quadrangular foi aberto com o Rio Preto recebendo o Santos e vencendo por 2 a 1. No primeiro tempo, Letícia, aos 20 minutos e Jéssica, aos 28, fizeram os gols rio-pretenses. O Santos foi marcar com Brena somente aos 41 do segundo tempo.

Com os resultados, Santos e Rio Preto mantiveram as duas primeiras colocações, ambos com nove pontos. O São José tem seis e o Audax Osasco segue zerado. Agora, no próximo domingo, às 15h, o São José receberá o Rio Preto no estádio Martins Pereira e o Santos visitará o Audax. Depois, na última rodada, no dia 10 de outubro, o São José visitará o Santos e o Rio Preto receberá o Audax.

Em Osasco, o técnico Márcio Oliveira dirigiu o São José com a seguinte formação: Thais Helena; Isa Leone, Flávia Gil, Lulu e Letícia Seabra; Edna Baiana, Pepê Lopes (Lia 48´/2º) e Michele Carioca; Franciele, Chu e Karol Lins (Luize Nery 32´/2º).

O outro quadrangular

No grupo que definirá os outros dois semifinalistas, o Corinthians já antecipou uma vaga. Na rodada, recebeu a Ponte Preta e venceu por 2 a 0. No outro jogo, Portuguesa e Ferroviária de Araraquara ficaram no 0 a 0.

O Corinthians lidera com 10 pontos e a Ferroviária está em segundo, com seis. A Ponte Preta é a terceira colocada, com quatro e a Portuguesa segue em último, com um. Na penúltima rodada, o Corinthians visitará a Ferroviária e a Portuguesa receberá a Ponte Preta. Depois, na última, o Corinthians jogará em casa contra a Portuguesa e a Ponte Preta receberá a Ferroviária.

FONTE: Meon

Diante da Concorrente, Embraer se mostra confiante

O diretor-presidente da Embraer, Frederico Curado, mostrou-se confiante quanto à nova concorrência promovida pela Força Aérea dos Estados Unidos a fim de escolher caças de ataque leve para serem usados em missões no Afeganistão.

Os requisitos do novo contrato apresentam alterações em relação ao primeiro processo de escolha que, na visão de Curado, podem auxiliar o Super Tucano, avião da empresa de São José dos Campos, a vencer o único adversário na concorrência, o AT-6 da norte-americana Hawker Beechcraft.

Se por um lado a Força Aérea eliminou o item que pedia o comparativo de voo entre os aviões, por outro, agora pede histórico de desempenho comprovado dos modelos em missões de contrainsurgência, finalidade dos caças a serem selecionados para o Afeganistão.

“Talvez uma coisa compense a outra. Embora em voo não teremos a chance de mostrar a superioridade do nosso avião, ao falar de passado, temos mais de 100 aeronaves em operação, um avião que vem sendo usado em operação real, como na Colômbia e outros lugares. O avião da concorrente é um avião de treinamento.

Contrainsurgência, eles não têm muito o que falar a não ser o que eles pretendem fazer”, disse Curado, em entrevista exclusiva a  O Vale. Embraer e Beechcraft têm até 4 de junho pra apresentarem suas propostas à Força Aérea dos EUA. O vencedor da disputa será definido somente em janeiro de 2013.

Curado lembrou que o novo processo de escolha traz um elemento diferente da primeira concorrência: a situação financeira da Beechcraft, que na última quinta-feira entrou em processo de concordata para quitar uma dívida de US$ 2,5 bilhões (R$ 4,9 bilhões).

“É uma variável nova. Não sabemos se isso é um fator determinante para que eles sejam mantidos na competição, mas por isso não podemos deixar de competir. Temos que ter mais um pouco de paciência, mas essa é nossa expectativa e tomara que a gente consiga vencer de novo”, disse.

Após o anúncio dos novos requisitos para a concorrência, a porta-voz da Beechcraft, Nicole Alexander, afirmou que não espera que o pedido de concordata atrapalhe o processo de escolha da Força Aérea. Segundo a empresa norte-americana, o pedido de concordata não é usado como critério da Força Aérea para excluir um competidor.

O processo de escolha para o fornecimento das aeronaves está sendo refeito após ‘lobby’ da Beechcraft em órgãos dos EUA. No final de dezembro do ano passado, Embraer e sua parceira na disputa, Sierra Nevada, chegaram a ser declaradas vencedoras do contrato inicial para o fornecimento de 20 caças, avaliado em US$ 355 milhões (R$ 696 milhões). A Beechcraft recorreu da decisão e a Força Aérea decidiu refazer a concorrência.

A Força Aérea dos EUA seleciona as aeronaves para o programa denominado LAS (apoio aéreo leve) com finalidade de operar em missões de vigilância de fronteira e ataques contrainsurgência no Afeganistão.
As primeiras entregas estão previstas para o terceiro trimestre de 2014. O contrato pode chegar a US$ 1 bilhão.

O Vale

É suspendido reintegração do Pinheirinho

Após uma madrugada de muita apreensão, festa e o sentimento de vitória. Todos no acampamento sem-teto do Pinheirinho esperavam para esta manhã, a partir das 6h, que a polícia cumprisse o mandado de reintegração de posse da área.

O perímetro do acampamento era vigiado por motos dos sem-teto e alguns ‘pelotões’  estavam estrategicamente posicionados para entrar em confronto com a polícia caso a ordem fosse cumprida. “Estamos aqui até a morte. Não vamos arredar o pé”, disse um dos ‘soldados’ sem-teto, que não quis se identificar.

A tensão, no entanto, rapidamente deu lugar à euforia quando, às 5h15, o advogado dos sem-teto, Antonio Donizete Ferreira, convocou uma reunião às pressas, logo na entrada do Quartel General do assentamento. Ele informou que a Justiça Federal havia cassado a liminar que garantia o cumprimento do mandado de reintegração de posse.

“Essa liminar, com muito sufoco, deu um fôlego para continuarmos as negociações políticas. O próximo passo é convencer a prefeitura a mudar o zoneamento para desapropriar a área”, disse. Ao saber da notícia, o Pinheirinho entrou em transe. Os moradores comemoram efusivamente a conquista. Eles tomaram a avenida do Imperador com buzinaço, bandeirões e gritam palavras de ordem .

O defensor público Jairo Salvador esteve no acampamento e confirmou a vitória temporária dos sem-teto.  O pintor industrial, Vanaildo Silva, 34 anos, está no acampamento desde o início da ocupação, em 2004,  e disse que o dia de hoje foi de recordações.

“Hoje, quando estava pronto para resistir  à desocupação relembrei das borrachadas e cacetetes que tomei quando tive que deixar o campão. Viemos para cá e quando pisei aqui acreditei que este lugar seria minha casa e agora, com essa decisão,  tenho certeza de que este é o lar da minha família”.

O  Comando do Policiamento do Interior da  PM  recebeu a ordem para que não cumpra a reintegração de posse. Em entrevista coletiva nesta manhã, o coronel Manoel Messias Mello afirmou que a possibilidade de que a reintegração de posse aconteça hoje está descartada. ” A ação requer um planejamento especial e não tem condições para que isso ocorra hoje”.

A  liminar foi concedida em reposta à ação cautelar ajuizada pela Associação dos Sem-Teto, às 22h de ontem, pedindo que a Polícia Militar, a Polícia Civil e a Guarda Municipal se abstenha de efetivar qualquer desocupação.

O despacho foi expedido às 4h45 desta terça-feira pela juíza de plantão Roberta Chiari, que fez alegações sobre a tratativa entre governo federal, governo do Estado e os moradores sem-teto. A juíza justificou a liminar dizendo que o protocolo de intenções entre as três esferas tem o objetivo de unir esforços que possibilitem a regularização fundiária para garantir infraestrutura urbana, mehorias na habitação, construção de equipamentos públicos, realização de trabalhos sociais etc.

De acordo com o documento, entre os principais aspectos considerados para a suspensão da reintegração está a defesa da integridade física das famílias. Segundo Salvador, a decisão é provisória. “Essa liminar não garante uma posição definida, mas dá fôlego para que se avance nas negociações sobre a regularização”.

Ainda de acordo com defensor, apenas o Tribunal Regional Federal pode julgar a nova liminar, se a Selecta fizer o pedido. O processo também abre brecha para  a juíza Márcia Loureiro, da 6ª Vara Cível, que determinou a reintegração de posse, questionar competência no Superior Tribunal de Justiça, que irá tomar a decisão definitiva.

O Vale

Vitória no Rugby

Não foi apenas uma vitória, foi um marco histórico: no primeiro jogo pelo Campeonato Brasileiro – Super 10, a equipe do São José Rugby quebrou a tradicional invencibilidade do Farrapos, de Bento Gonçalves – Rio Grande do Sul – pelo expressivo placar de 58 a 17. A gauchada rendeu-se à melhor qualidade da nossa equipe, depois de nada menos do que 694 dias invicta (22 jogos).

O Farrapos vinha como favorito, devido ao seu bom desempenho no cenário do rugby nacional, o que só serviu para realçar o brilho da vitória da equipe joseense, que, com 6 títulos nacionais e 8 paulistas, entrou em campo decidida a ganhar o jogo. O apoio da torcida foi decisivo para o sucesso do São José Rugby.

O Super 10

O Super 10 é a maior competição brasileira de rugby e será realizado até novembro, com jogos eliminatórios para a definição do campeão. As equipes participantes são: pelo Estado de São Paulo, o São José, SPAC, Pasteur, Bandeirantes e Rio Branco. Por outros Estados, jogam o Niterói (RJ), o Farrapos (RS), o Desterro (SC), o Unibrasil/Curitiba (PR) e BH (MG). As
equipes são divididas em dois grupos e os quatro melhores de cada um seguem para as quartas de final.

Valiosos patrocínios

As equipes do São José Rugby são mantidas com recursos da Prefeitura Municipal, que tem como parceiras as empresas, Val Du Lion, Hotel Comfort, Medlink, COC e CCR NovaDutra por meio da Lei de Incentivo Fiscal (LIF) e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Dutrafer, Plani e Quaglia.

Sobre o rugby

O rugby tem certa semelhança com o futebol. Contam até que o esporte originou-se de uma jogada irregular do futebol, no ano de 1823, quando um jogador do Colégio Rugby (daí o nome do jogo), teria agarrado a bola com as mãos e corrido com ela até a linha de fundo do time adversário. O rugby é um esporte másculo, muito emocionante e popular em vários países do mundo. Saiba mais sobre este, que é um esporte em ascensão no Brasil, acessando a página da Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) no endereço www.brasilrugby.com.br.

Prestigie os esportes de São José. Esporte é vida com saúde.