F00012299g Notícias
Publicado em 30/01/2014 às 14:00

Centro da Juventude vira fitness center nas noites de verão

30/01/2014 - 30/01/2014

Enquanto não termina o longo percurso do dia em direção ao crepúsculo, o sol ainda emite brilho intenso e calor abrasante. Passam das 18h de segunda-feira (27), e o Centro da Juventude, no Jardim América, começa a receber os frequentadores vespertinos, que neste verão só esperam refrescar um pouco para sair de casa e fazer atividades físicas no local.

O lugar mais parece um fitness center aberto todos os dias – inclusive nos fins de semana e feriados –, das 6h às 22h. Há atrativos para crianças, jovens, adultos e idosos. Todas as atividades são promovidas gratuitamente pela Prefeitura.

Esse movimento de pessoas se tornou maior após a instalação das secretarias de Esportes e Promoção da Cidadania, no primeiro semestre do ano passado. Todos os espaços abertos são de acesso livre ao público, com exceção da pista de esportes radicais, em que é preciso entrar com autorização e portar capacete.

A academia ao ar livre, entregue no ano passado, é o cartão de visita do complexo da Prefeitura que oferece lazer de graça para a população. As atividades no circuito nos dez aparelhos disponíveis são orientadas por monitores, cujo atendimento é gratuito.vEsses exercícios são associados ao grupo de corrida e caminhada, uma novidade já presente em doze academias.Zilda Araújo é uma das pessoas que batem cartão ali diariamente. Ela mora do outro lado da cidade, num bairro perto da represa do Jaguari, na região norte. “Como trabalho nas Chácaras Reunidas, posso todos os dias, e somente quando está chovendo muito é que não dá mesmo.”

“É um trabalho mais específico de coordenação motora e correção da postura”, explica o educador físico Felipe Mariano. Depois, como ocorre com os demais participantes, na maioria mulheres, todos fazem alongamentos e relaxamento no gramado ao lado da pista onde ficam as barras de musculação.

Zilda passa quase duas horas por dia, mas o esforço é animador. “Perdi três quilos e ganhei qualidade de vida.” Ela pôde conferir o resultado no Centro de Medidas e Avaliação Física (Cmaf), que funciona dentro do centro e atende de forma gratuita de manhã, à tarde e também no período noturno, das 18h às 21h30, com agendamento prévio.

Outra adepta da caminhada diária no Centro da Juventude é Bruna Magela, que reside no vizinho Jardim Anhembi. “Saio do serviço, troco de roupa e venho direto para cá.” Ela usufrui dos benefícios por orientação médica. “Tenho hérnia de disco, e o ortopedista pediu para fazer alongamento e fortalecimento do abdômen”, ressaltou.

 

Radicais

O pavilhão também é o espaço democrático do pessoal que adora andar sobre rodinhas. São meninos e garotas que se equilibram nos skates e rollers, mas tem a criançada que se diverte nos patinetes e pequenas bicicletas.

O jovem Delso Júnior Chagas dos Reis aproveita todo dia para deslizar no modelo in-line. A mãe, Maria de Lourdes, diz que faz questão de levá-lo todo dia e lembra que, mesmo tento a síndrome de Down, o filho aprendeu a praticar a modalidade em pouco tempo. “É muito gratificante ver meu filho feliz.”

Na pista de esportes radicais, a demanda está enorme, por causa das férias. Skaters e bikers saltam e contornam obstáculos e rampas até as 22h, quando é hora de fechamento da unidade. Thiago Camacho, que vai completar 13 anos em fevereiro, é um dos que estão na área de domingo a domingo. Como estuda de manhã, o horário noturno é muito bem aproveitado pelo estudante, que mora no Morumbi.

“Minha mãe me traz e busca, e aqui fico até quatro ou cinco horas brincando com os amigos”, conta Thiago. O estudante tem na ponta da língua as várias manobras de que é capaz, todas com nomes em inglês, indecifráveis para quem não é do meio. Disaster e fake ollie hang up são duas que ele manda ver no skate park.

 

Caminhadas

Por volta das 19h30, perto do pôr do sol, o público rotativo vai só aumentando. Algumas pessoas já terminaram de malhar e estão de volta para casa, com corpo e mente em equilíbrio.

José Raimundo Pontes, de 72 anos, gosta mais dos exercícios na academia. Já a mulher dele, Carolina, prefere a pista de caminhada. Como estão sempre juntos, acabam fazendo as duas coisas. Eles moram no Jardim América e costumam acompanhar o casal de vizinhos Josefina e Koji Fujii, quando vão ao Centro da Juventude, que fica no mesmo bairro, com portaria na Rua Aurora Pinto da Cunha, de frente para a Estrada Velha.

“Isso aqui foi uma bênção”, resume Carolina, referindo-se ao imóvel inaugurado em 1980 como central de abastecimento e depois transformado em pavilhão de exposições. Hoje, é praticamente uma minicidade dedicada ao lazer e esporte comunitário.

A única reivindicação de Carolina é um playground para que os filhos possam brincar enquanto os pais fazem exercícios. Aí vai uma boa notícia. Em breve, a Prefeitura vai instalar uma academia da primeira idade, com aparelhos especialmente desenvolvidos e adaptados para as crianças.

 

Esportes e cultura

Enquanto há luz suficiente, as duplas de vôlei dão saques, manchetes e cortadas na quadra de vôlei de areia localizada nos fundos do pavilhão e protegida do sol. Quem gosta de basquete ou futsal tem a quadra poliesportiva de piso duro, que fica numa das laterais.

Neste espaço não precisa saber jogar. Basta se juntar à turma e se divertir. Estudante do nono e último ano do ensino fundamental na Escola Estadual Benedito Matarazzo, Gabriel dos Santos, de 15 anos, aproveita o fim das férias para praticar futsal. “Aqui o chão não escorrega muito.” Quando voltar às aulas, ele pretende frequentar o Centro da Juventude às segundas e terças-feiras. O restante da semana ficará reservado às tarefas escolares.

Arte e cultura também estão presentes no Centro da Juventude. Além do palco para apresentações de música e teatro, há um salão para aulas de dança no prédio localizado no interior do local.

As horas vão passando e, com o anoitecer, as luzes são acesas para que muita gente continue praticando esportes na unidade até as 22h, quando encerram-se as atividades.