Chuva causa prejuizo nas cidades da região

As fortes pancadas de chuva registradas essa semana têm provocado estragos nas cidades do Vale. Ontem, uma família ficou desalojada em Aparecida após um deslizamento de terra no bairro Itauguaçu. Importantes avenidas como a Padroeira do Brasil, ligação com Guará, e Júlio Prestes ficaram alagadas depois da forte chuva da noite de segunda-feira.

Em São José, duas árvores caíram na madrugada de ontem. Uma delas despencou em cima de um veículo na avenida Adhemar de Barros e prejudicou o trânsito no local ontem. A outra árvore caiu na SP-50 (Estrada Monteiro Lobato). De acordo com a Defesa Civil, ninguém ficou ferido.

A Defesa Civil de Guará informou que as chuvas de anteontem alagaram por cerca de três horas os bairros Tamandaré e Parque das Garças. O acumulado de chuva em Guará é o maior entre as cidade da região de 26.8 mm.

De acordo com o Cptec/Inpe (Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos) o acumulado de chuvas em São José é de 15.6 mm e em Aparecida de 21.1 mm. A previsão é que as chuvas continuem a atingir a região até o fim de semana. Entretanto, a expectativa de pancadas fortes ao longo de todo o dia mudou e agora as cidades devem ter pancadas apenas no final da tarde.

O meteorologista, Felipe Farias, disse que uma zona de convergência que atua no Vale do Paraíba deverá deixar os dias quentes e com chuva à noite. “As chuvas também virão acompanhadas de bastante vento e trovões”, afirmou.

Hoje, as temperaturas devem variar entre 18ºC  e 27ºC em São José e 22ºC e 28ºC no Litoral Norte. Nas cidades da Serra da Mantiqueira a variação será de 13ºC a 21ºC. Duas árvores caíram na madrugada de segunda-feira, uma deles despencou sobre um carro na avenida Adhemar de Barros e prejudicou o trânsito ao longo do dia de ontem

O Vale

Coleta de lixo aumenta nesse final de ano na cidade

No período de férias e das festas de final de ano, o volume da coleta seletiva e do lixo orgânico aumenta consideravelmente na cidade. Desde o início de dezembro, a média de lixo orgânico coletado foi de 865 toneladas/dia, o que representa aumento de 23% em relação aos outros meses, quando a média registrada foi de 703 toneladas/dia. Em dezembro de 2010, a Urbam registrou picos de coleta de até 1000 toneladas/dia, após as festas de Natal e Réveillon.

A média da coleta seletiva foi de 56 toneladas/dia este ano. Em dezembro, a média tem sido de 75 toneladas/dia 33% maior. A previsão também é de um aumento após as festas, que em 2010 teve picos de 90 toneladas/dia (este ano já houve picos de 85 toneladas/dia). A Urbam realiza o controle do volume da coleta seletiva e da coleta do lixo orgânico por meio da pesagem dos caminhões.

A Urbam orienta a população sobre a importância do consumo consciente visando a preservação ambiental e a ampliação da vida útil do aterro sanitário. As recomendações são no sentido de se recusar o excesso de embalagens nos presentes. Essas embalagens podem ser reaproveitas em outras ocasiões ou destinadas à coleta seletiva (nunca devem ser colocadas no lixo orgânico). Deve-se evitar o desperdício dos alimentos. Os brinquedos, roupas e os demais objetos que não serão mais usados, devem ser doados a uma instituição.

Coleta

A coleta é rastreada, o que possibilita acompanhamento dos trajetos em tempo real, conferindo maior eficiência ao serviço. Os caminhões possuem um sistema mecanizado que permite o encaixe dos contêneires, dando mais agilidade, eficiência e facilitando o trabalho dos agentes ambientais da coleta.

Os dias das coletas são pré-determinados e a população pode consultar os horários no site da Urbam ou pelo telefone: 3944-1000.

Prefeitura Municipal

107 milhões de carros cruzaram a Via Dutra este ano

O volume de veículos pedagiados na rodovia Presidente Dutra, uma das mais movimentadas do país, registrou crescimento de 5,8% no período de janeiro a setembro deste ano comparado com o mesmo período do ano passado.

Segundo dados do grupo CCR, que controla a CCR NovaDutra, concessionária da rodovia, 107.299.950 veículos passaram pelas praças de pedágio até setembro contra os 101.436.167 no ano passado na rodovia. Somente no terceiro trimestre de 2011 (julho a setembro) foram pedagiados 37.675.231 veículos, o que representa um crescimento de 6,2% em relação ao mesmo período de 2010.

No Vale do Paraíba, o trecho mais movimentado é em São José dos Campos. Diariamente circulam nos dois sentidos do trecho da rodovia cerca de 130 mil veículos, segundo a NovaDutra. Do total, 55% correspondem a veículos leves e o restante, veículos pesados.

Todo esse volume de tráfego na rodovia possibilitou à CCR NovaDutra uma arrecadação bruta de R$ 727,7 milhões de janeiro a setembro deste ano. Se comparado com o arrecadado no mesmo período do ano passado (R$ 654,7 milhões), a receita da concessionária somente com as praças de pedágio registrou crescimento de 11,1%.

De acordo com dados da CCR, o maior volume de tráfego na rodovia é de veículos comerciais (ônibus, carretas e caminhões, entre outros), que representam 72,7%. Para Ronaldo Garcia, engenheiro e especialista em transportes, o crescimento econômico do país é um dos fatores que contribui para o aumento do tráfego na Dutra.

“A Dutra é uma rodovia aberta, porta a porta, e atende a dezenas de empresas ao longo do traçado, que utilizam a estrada para escoar seus produtos”, disse o especialista.

Na avaliação do engenheiro, se a rodovia não for ampliada, logo estará totalmente estrangulada.
“Há mais de 15 anos o DNER (atual DNIT) já apontava que o trecho de São José dos Campos é um dos críticos em termos de tráfego”, disse.

Garcia frisou que as marginais são importantes porque segregam o tráfego doméstico e isso alivia o movimento nas pistas centrais da estrada. A NovaDutra planeja construir até 2013 mais uma via marginal entre os km 151 e 154, na pista sentido Rio-São Paulo, em São José.

Segundo a concessionária, o investimento previsto é da ordem de R$ 21 milhões. O projeto executivo já está pronto e se encontra em análise na ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) Segundo a agência reguladora, o investimento nessa primeira etapa de implantação de novas marginais em São José dos Campos já está embutido na tarifa atual do pedágio.

Já o projeto da segunda pista marginal, entre os km 154 e 158,5, o orçamento inicial da obra também está em fase de análise, segundo informou a assessoria da ANTT. A agência reguladora informou que não há definição de execução da obra, que deve ter seu custo incluso no PER (Programa de Exploração da Rodovia) para ser viabilizada.

O Vale