Escolas públicas recebem materiais esportivos nesta sexta-feira

A Prefeitura entrega nesta sexta-feira (11), véspera do Dia das Crianças, os kits de materiais esportivos fornecidos pelo Governo Federal. Serão beneficiadas 120 escolas públicas de São José dos Campos (46 municipais e 74 estaduais), além de 27 unidades municipais destinadas à prática de esportes, como centros comunitários e esportivos, ginásios, quadras e poliesportivos. A distribuição, a partir das 10h30, será no Centro Poliesportivo do Campo dos Alemães (Rua Walter Dellu), com a presença do prefeito municipal, além de exibição de capoeira e apresentação de dança de crianças e jovens da região. Está prevista a participação de vereadores, secretários municipais e representantes do Ministério do Esporte e da Delegacia Estadual de Ensino.

Neste ato, a cidade vai receber 11 bandeiras do Brasil, 1.831 bolas (387 de vôlei, 392 de basquete, 394 de futsal e 658 de handebol) e 1.965 jogos de damas, além de 130 redes de vôlei, 138 de basquete e 136 de futsal, que também servem para o handebol. Para o secretário de Esportes, a chegada desses conjuntos de materiais, sem custo para o Município, oferece mais condições para a prática esportiva em São José. “É um presente para nossos alunos, que terão uma estrutura melhor para motivá-los a se desenvolver nas modalidades”, disse o secretário.

Os artigos foram produzidos em fábricas de material esportivo dos programas Pintando a Liberdade e Pintando a Cidadania, ambos do Governo Federal. O primeiro promove a ressocialização de internos do sistema penitenciário, e o segundo envolve as pessoas em situação de risco social, com o objetivo de incluir moradores de comunidades carentes no mercado de trabalho. Toda a produção é distribuída em núcleos, escolas e entidades de todo o país.

Cidade tem olimpíadas de Ciências para alunos do ITA

Um grupo de alunos do Instituto Tecnológico de Aeronáutia (ITA), de São José dos Campos (SP), promove a Olimpíada Catavento de Ciências (OCC). O projeto é destinado aos alunos do ensino fundamental, do 6º ao 9º ano, de escolas públicas de todo o país.

A olimpíada, que será realizada entre os dias 7 de junho (1ª fase) e 2 de agosto (2ª fase), terá provas interdisciplinares, com conteúdos de astronomia, ciências físicas e biológicas e matemática, para o nível 1, e astronomia e astronáutica, biologia, física, matemática e química, para o nível 2. As provas serão realizadas nas próprias escolas inscritas. A inscrição na competição deve ser feita por meio de cadastro das escolas, que pode ser realizado no site da OCC. O regulamento completo e mais informações sobre o projeto também estão disponíveis no site.

“Nosso principal objetivo é contribuir com a educação básica e melhorar as condições de ensino no nosso país”, disse o coordenador nacional da competição, Gabriel Ilharco Magalhães, de 17 anos. Segundo ele, a ideia surgiu após a experiência de dar aulas no curso preparatório dentro do próprio instituto, há três anos, voltado à alunos do 7º e 8º ano de escolas públicas.

Chamado de Casdinho, o cursinho ajuda alunos da rede pública a ingressar no ensino médio do Colégio Juarez Wanderley, mantido pela Embraer, considerada uma das melhores escolas do país e com alto índice de aprovação no vestibular de universidades públicas. A escola de ensino gratuito tem um dos vestibulinhos mais concorridos da cidade.

O projeto do curso preparatório deu certo, e agora o grupo quer levar iniciativas de educação para o país. “Queremos fazer a cidade respirar educação e expandir para o Brasil”, afirma Gabriel. O aluno, que já participou e ganhou medalhas em olimpíadas nacionais, acredita que estes projetos contribuem para o estímulo à aprendizagem. “Cheguei a receber medalhas das mãos do ex-presidente Lula e vi que, quando eu ganhava, eu motivava também as pessoas ao meu redor”, diz.

G1 (Vnews)

Publicado em: 25/04/2013

Natal e Ano Novo tem piscinas públicas fechadas

Até março, os fins de semana serão de muita atividade aquática em São José dos Campos. É o Projeto Verão, que começou em 12 piscinas públicas da cidade. As atividades serão suspensas no Natal, durante os dias 24 e 25, e no Réveillon, nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro.

A novidade desta edição é a piscina do Centro Poliesportivo de Eugênio de Melo que integra a programação. Já a piscina do Centro Esportivo Casa do Jovem está em reforma e não faz parte do projeto neste ano. As atividades são gratuitas e monitoradas por profissionais de educação física e salva-vidas.

Podem participar pessoas de todas as idades. As crianças menores de sete anos deverão estar acompanhadas pelos pais ou responsáveis. Os usuários deverão comparecer em traje de banho, nas piscinas relacionadas, onde preencherão a ficha de inscrição e farão a inspeção de pele para participar.

O Projeto Verão tem como objetivo levar lazer às famílias, melhorar a qualidade de vida da população e evitar afogamentos em lagos e rios.

Locais e horários do Projeto Verão

Horários Diferenciados:
Sábados das 13h30 às 18h
Domingos das 9h30 às 12h e das 13h30 às 18h

Região Sul
– Centro Esportivo Jardim Morumbi – Av. Elaine Maria Barbiere Soares, 180 – Jardim Morumbi
– Centro Poliesportivo João do Pulo – Avenida Perseu, 180 – Jardim satélite
– EMEF Professora Mercedes Carnevali Klein – Rua Itapoã, 50 – Jardim Satélite
– EMEF Professora Maria de Melo – Rua Ingá, s/nº – Parque Industrial
Região Norte
– Centro Poliesportivo Altos de Santana – Avenida Altos do Rio Doce, 801 – Altos de Santana
Região Leste
– Centro Poliesportivo São Judas Tadeu – Avenida São Gerônimo, s/nº – São Judas Tadeu
– Centro Comunitário Vila Industrial – Praça José Molina, s/nº – Vila Industrial
Região Sudeste
– EMEF Professora Otacília Madureira de Moura – Praça Quiririm, 101 – Vila Nova Conceição
Região Central
– Ginásio de Esportes da Vila Maria – Praça Nenê Cursino, s/nº – Vila Maria

Horários Fixos Sábados e Domingos: das 9h30 às 12h e das 13h30 às 18h

Região Leste
– Centro Poliesportivo Eugênio de Melo – Rua Ambrósio Molina, 370 – Eugênio de Melo
– Centro Poliesportivo Jardim Cerejeiras – Rua 23 de dezembro, 400 – Jardim Cerejeiras
Região Sudeste
– EMEF Professora Maria Nazareth de Moura Veroneze – Praça Columba, 45 – Jardim da Granja

Prefeitura Municipal de São José

Publicado em: 13/12/2012

Depois de 3 anos, prefeitura tornou publicas as regras de contrução

Depois de três anos, a Prefeitura de São José tornou públicas as regras para construção de empreendimentos considerados PGTs (Polos Geradores de Tráfego). A partir de agora, quem construir um prédio, abrir um consultório ou reformar uma padaria saberá que investimentos extras terá que fazer para reduzir os impactos no trânsito.

A contrapartida viária dos imóveis em construção ou em reforma é exigida pela prefeitura desde 2008, no entanto, não havia regras claras e a avaliação ficava a critério da prefeitura. Neste período, grandes projetos foram aprovados, como a ampliação dos principais shoppings.

Agora, uma tabela baseada no tamanho e impacto do imóvel definirá a contrapartida viária a ser efetuada.  A regulamentação da regra ainda gera polêmica entre os empresários da construção civil, que afirmam que a exigência encarece as obras e dificulta o surgimento de novos empreendimentos na cidade.

“Esse investimento é repassado ao consumidor, porque o empresário não pode ter prejuízos. Na prática, quem paga é o cidadão, que já contribui com impostos para que a prefeitura custeie obras de melhoria viária”, afirmou o diretor regional do SindusCon (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado), José Luiz Botelho.

Já Carlos Eduardo de Vilhena Paiva, presidente da AEA (Associação de Engenheiros e Arquitetos) é favorável à norma. “Se ela não existir, compradores de imóveis e seus vizinhos serão prejudicados e caberá somente à prefeitura resolver o problema”, disse.

De acordo com a regulamentação da lei feita por meio de decreto, os futuros imóveis serão divididos em três grupos de baixo, médio e grande impactos ao trânsito. Nos empreendimentos classificados como de baixo impacto, será necessário realizar obras como faixas de aceleração e pontos de embarque dentro da própria área reservada para o estabelecimento.

Nos empreendimentos de médio impacto, serão exigidas obras dentro e fora da área, como recapeamento de vias. Para os empreendimentos de grande porte serão exigidas, além de melhorias viárias dentro e fora, a elaboração do RIT (Relatório de Impacto no Tráfego). Desde 2010, 53 obras de grande impacto foram aprovadas pela prefeitura.

O Vale