Desenhos de gráfiteiros são apagados pela Prefeitura

Grafiteiros de São José dos Campos vão entrar na Justiça contra a prefeitura. Eles acusam a administração de apagar quatro muros pintados por eles na Vila São Bento, às margens da avenida Mário Covas, na zona sul. A pintura dos muros foi autorizada, por escrito, pelos respectivos proprietários. Nenhum desenho foi feito em espaço público.

Um grupo de sete grafiteiros fez os desenhos entre dezembro do ano passado e março deste ano, gastando em torno de R$ 16 mil. No entanto, os grafites foram apagados com tinta bege na semana passada. “A prefeitura disse que tinha o aval dos proprietários para tirar os desenhos, mas conversamos com eles e descobrimos que não foi bem assim. Eles pintaram à revelia nossa e dos donos”, disse Bruno Santos, 26 anos, o ‘Fred’.

Após 25 de maio de 2011, com a sanção de lei federal, o grafite foi descriminalizado no país. Artistas podem grafitar locais privados e públicos desde que tenham autorização dos proprietários e dos respectivos órgãos públicos. “Tínhamos todas as autorizações para cada muro e cada artista. Quem pisou na bola foi a

Moradora da Vila São Bento, a cozinheira Cirlene Santos, 61 anos, disse que permitiu o grafite e depois se surpreendeu com a retirada do desenho. “Autorizei os meninos a pintarem, mas não a prefeitura a tirar. Ficou muito feio”, disse ela, diante de um muro pichado perto da casa. “Isso aqui é que a prefeitura deveria apagar”.

A retirada dos desenhos contrasta com a política anunciada pelo prefeito Carlinhos Almeida (PT) de mudar o tom na relação com os grafiteiros. A repressão denunciada por eles durante o governo anterior passaria agora para uma ação colaborativa. O primeiro passo foi o apoio, no final de semana de março, ao ‘Mutirão Graffiti’, encontro

José Luís Nunes, secretário de Defesa do Cidadão, admitiu que pode ter havido “algum equívoco” na repintura dos muros e prometeu investigar a questão. “De forma alguma foi perseguição. Pode ter ocorrido algum equívoco”, afirmou.

O Vale

Publicado em: 17/04/2013

Destruição de árvores na cidade diminui em pelo menos 3%

Após anos de batalhas perdidas para o vandalismo, a Prefeitura de São José dos Campos conseguiu reduzir o índice de destruição de árvores em toda a cidade. Anualmente, de 70% a 80% das árvores plantadas eram destruídas. Para mudar essa realidade perversa, a SSM (Secretaria de Serviços Municipais), responsável pela ar borização de áreas públicas de São José, mudou a tática de plantio.

O engenheiro agrônomo Carlos Trunkl, chefe do setor de Assessoria de Arborização e Áreas Verdes da pasta, relatou que o índice de destruição de mudas foi reduzido para apenas 3%. Ele explicou que há cerca de dois anos a SSM optou pela redução do plantio, porém, passou a plantar mudas maiores, mais encorpadas, o que tem dificultado a ação de vândalos.

Em média, a pasta plantava anualmente de 12 mil a 15 mil mudas. Agora, a meta anual gira em torno de 5.000 mudas.

“Em vez de plantar mudas pequenas, de até 1,4 metros de altura, passamos a plantar mudas maiores de 3 metros a 3,5 metros de altura e caule com diâmetro de 3 a 5 centímetros”, disse o engenheiro agrônomo da SSM.
Segundo Trunkl, o resultado da mudança da técnica já está dando resultados.

As mudas plantadas se consolidaram e estão em desenvolvimento. “Fazemos monitoramento constante e constatamos a redução do vandalismo”, disse o especialista. Trunkl contou que, nos bairros da periferia, o vandalismo é praticado, principalmente, por crianças, que costumam arrancar galhos da muda.

No centro, no entanto, a situação é diferente. A destruição ocorre por ação de moradores que não querem árvore em frente das casas e pontos comerciais. “Normalmente, no centro, pessoas que têm pontos comerciais resistem em ter árvores em frente do ponto”, disse. Mesmo assim, o engenheiro relatou que a SSM não “dá folga” e repõe as mudas que são alvo de vandalismo.

Censo. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente desenvolve programa de conscientização e orientação da população para a importância da preservação do verde.

O secretário André Miragaia disse que o programa atinge principalmente a rede municipal de educação.
“Mostramos para as crianças a importância de não destruir o verde e isso, com certeza, também ajuda na redução do índice do vandalismo contra o plantio de árvores”, disse.

A pasta realiza um censo sobre a arborização consolidada da cidade e planeja disponibilizar o trabalho no site da prefeitura ainda este ano ou no começo de 2012. O censo vai mostrar a condição de cada árvore, como espécie, idade e sua condição fitossanitária. A estimativa da SSM é que São José possui cerca de 120 mil árvores em áreas públicas entre ruas, avenidas e praças. O centro é a região mais arborizada.

O Vale