Dona de lojas no calçadão, reclamam de abandono

Lojistas do Calçadão da rua Sete de Setembro, principal referência do comércio de rua de São José dos Campos, pedem melhorias para o local, principalmente na iluminação pública. Na avaliação dos empresários do comércio varejista estabelecidos no Calçadão, as luminárias públicas são insuficientes.

A queixa é que a prefeitura demora para trocar as lâmpadas queimadas. Segundo lojistas, a “iluminação precária” é motivo de insegurança para clientes, que evitam frequentar o Calçadão após as 18h. “Além de não ser apropriada, há demora na reposição das lâmpadas queimadas”, afirmou Matheus Bessa, lojista do local.

Ele disse que a melhoria da iluminação é uma questão de segurança para os lojistas e consumidores. Bessa relatou que, em dezembro, mês de pico de vendas do comércio, havia lojas na rua que não permaneciam abertas no período noturno, por causa da falta de iluminação no local. “Vários comerciantes fechavam mais cedo”, afirmou o lojista.

“Não há incentivo para as pessoas virem ao centro. Falta iluminação e segurança”, afirmou recentemente o comerciante Rogério Alivei, ao reclamar do sistema de iluminação da rua. Outra queixa dos comerciantes é com relação à limpeza das coberturas laterais das fachadas das lojas e a limpeza geral do Calçadão.

“O Calçadão não é mais um lugar agradável. As coberturas laterais das lojas estão sujas. A rua só é lavada uma vez por mês”, afirmou o comerciante Estelino Silva.

Segundo ele, o sentimento é de “abandono”. “Não há diálogo com a atual administração. Ninguém escuta”, disse. O empresário afirmou que as queixas dos cerca de 90 lojistas do Calçadão são comuns, mas não são ouvidas pelo poder público.

O presidente da ACI (Associação Comercial e Industrial) de São José, Felipe Cury, disse que a entidade está aberta ao diálogo com os comerciantes. “A entidade está em sintonia com o Ipplan (Instituto de Pesquisa, Administração e Planejamento) no projeto de revitalização do centro”, afirmou o dirigente.

Cury relatou que ontem se reuniria com técnicos da Secretaria Municipal de Obras para tratar de planos para a melhoria do sistema de iluminação do centro todo. “É preciso melhorar toda a iluminação do centro, com troca do sistema”, afirmou.

Em nota, a Secretaria Municipal de Obras informou que estuda melhorias para a iluminação do Calçadão da rua Sete de Setembro. O estudo está sendo realizado pelos técnicos da pasta. No entanto, não há prazo para execução de projetos.

Além disso, secretaria informou que o Calçadão passa todo mês por uma lavagem, que é realizada pela SSM (Secretaria de Serviços Municipais).

A última lavagem aconteceu no dia 8 de janeiro deste ano. Também são limpas as grelhas pra evitar entupimento em dias de chuva e acabar com o mau cheiro. Segundo a pasta, as floreiras também recebem manutenção da Secretaria de Serviços Municipais, como a troca daquelas que estão quebradas e o replantio de flores. A SSM faz reparos na iluminação, como troca de lâmpadas.

O Vale

Ciclovia abandonada: administração do parque é compartilhada

Um ano e meio após ser inaugurada pela Prefeitura de São José dos Campos como mais um equipamento de lazer para a comunidade, a ciclovia do Parque da Cidade ‘Roberto Burle Marx’, maior área verde urbana da cidade, está praticamente abandonada. A ciclovia do parque possui 2 km e foi aberta em 2009.

Quem percorrer a trilha, implantada no final de 2009, nota que a ciclovia não recebe manutenção.

Em cinco dos 19 pontos de sinalização as placas simplesmente foram arrancadas. Outras duas foram pichadas e uma terceira placa está danificada.

O canteiro central que separa a ciclovia da pista de caminhada também está danificado em vários trechos.

Em alguns pontos o canteiro foi quebrado e há muito tempo todo ele não recebe uma ‘mão’ de tinta.

A Semea (Secretaria Municipal de Meio Ambiente) é a gestora da área verde, mas, segundo o secretário André Miragaia, a administração do parque é compartilhada. E ainda explicou que o parque é todo aberto e serve de passagem para moradores das vilas do entorno, por isso, não pode ser fechado, o que facilita, por exemplo, a entrada de pessoas à noite.

O secretário relatou que a Semea vai solicitar a reposição das placas. Outra providência é a inclusão do parque no programa de monitoramento por câmeras de vídeo.

Fonte: O Vale
Foto: Julio Escobar

Avenida pede socorro

O excesso de buracos, emendas no asfalto e a falta de sinalização denunciam: a avenida Andrômeda está abandonada pela Prefeitura de São José dos Campos. Considerada um dos principais corredores da cidade e o polo comercial da zona sul, em alguns trechos da via não existe sequer pintura de solo para organizar o fluxo.

O problema, que é alvo de reclamação dos moradores da região, se reflete nas estatísticas de acidente a An- drômeda é uma das dez avenidas mais perigosas da cidade foram 53 acidentes com vítimas no ano passado, segundo dados oficiais.

Seja pela precariedade ou grande volume de carros que recebe (33 mil por dia), é lá também um dos locais onde os motoristas mais cometem irregularidades. Até maio, 6.008 motoristas foram multados no corredor.

Avaliação. Dos quatro quilômetros da avenida, o trecho mais problemático é o final, perto da rotatória do Sesi (Serviço Social da Indústria). No trecho, existe 1,5 quilômetro de paralelepípedos que deixam o trânsito moroso, difícil e arriscado.

É nesse trecho também que não existe sinalização de solo para dividir a avenida em faixas e organizar o fluxo. Apesar dos problemas, a reforma do trecho e a troca do paralelepípedo não têm prazo para acontecer.

Uma emenda do ex-prefeito de São José, Emanuel Fernandes (PSDB), pedida quando ele exercia a função de deputado federal, iria custear a pavimentação no trecho, estimada em R$ 2 milhões. A União não liberou o valor até o final do ano passado. A assessoria de Emanuel informou que ainda há chances da verba ser liberada. Essa é a aposta da prefeitura, que informou que aguarda a liberação da verba e que caso ela não seja liberada vai pagar o custo dos serviços.

Outro lado. A prefeitura não informou quanto foi investido em obras de recuperação da avenida nos últimos anos. Por nota, a Secretaria de Transportes informou que realizou a manutenção de toda a sinalização da avenida no ano passado.

A prefeitura informou ainda que executou a troca de galerias de águas pluviais da via para melhorar o escoamento das águas das chuvas. Prefeitura aplicou R$ 27 mil em melhorias São José dos Campos

A Prefeitura de São José dos Campos investiu R$ 27 mil ano passado em obras de abertura e fechamento do retorno próximo ao Espaço Andrômeda, na avenida Andrômeda. Segundo a Secretaria de Transportes, foi realizado ainda investimento na manutenção da sinalização viária.

Contrapartida. A pasta não informou se está previsto novos investimentos no corredor. O VALE foi informado que no pacote de obras exigidas como contrapartida à ampliação do Vale do Sul Shopping também está previsto interferências na Andrômeda.

O centro de compras terá que custear a construção de duas baias de ônibus com modernização dos pontos de ônibus e de uma baia para táxis na avenida Andrômeda. O shopping terá que custear ainda a adequação de todas as calçadas, sinalização e semáforos do entorno.