Untitled-8 Política
Publicado em 24/10/2012 às 10:04

Cury pode fazer parte do governo de Alckmin

Presidente da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e prefeito de São José dos Campos, maior cidade da região, Eduardo Cury (PSDB) já aparece como um dos cotados para assumir um cargo no governo estadual após deixar a prefeitura em 2013.

Cury, juntamente com os prefeitos tucanos de Piracicaba, Barjas Negri, e de Sorocaba, Vitor Lippi, integram a lista de aliados políticos que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) deve recrutar para o seu governo. Segundo informações divulgadas pela imprensa, Alckmin planeja implementar uma reformulação no seu secretariado após o segundo turno da eleição para prefeito, que será realizado neste domingo.

A reformulação deve ser iniciada em novembro, com base no mapa eleitoral desenhado pelas urnas, com vistas para 2014, quando Alckmin pode tentar se reeleger. O presidente estadual do PSDB, Pedro Tobias, disse ontem que ainda é “muito cedo” para se falar no assunto, mas admite que os três prefeitos têm condições de assumir postos no primeiro escalão de Alckmin.

“Os prefeitos têm boas avaliações de governo e podem perfeitamente ser aproveitados mas vamos, primeiro, esperar as eleições”, disse Tobias. Embora tenha evitado mencionar a possibilidade de Cury ser convidado por Alckmin, o deputado federal Emanuel Fernandes (PSDB), padrinho político de Cury, disse que o tucano é “uma liderança do quadro do PSDB e pode servir ao partido tanto no plano estadual como nacional”.

Coordenador regional do partido, Francisco de Assis Vieira Filho, o Chesco, disse que torce para que Cury seja chamado para compor o primeiro escalão de Alckmin. Segundo ele, a eventual presença de Cury no governo Alckmin significará força política para a região. “Nossa região precisa estar bem representada. Cury fez governo ético durante oito anos e tem todas as condições para assumir um cargo no Estado.”

Para Chesco, o deputado Emanuel Fernandes também reúne todas as condições para voltar a ocupar um cargo no governo do Estado. “Emanuel já foi secretário em duas ocasiões e continua sendo uma liderança.” Em nota, Cury disse que seu primeiro plano é retornar à sua empresa metalúrgica, que completou 26 anos de atividades. “Meu futuro político será consequência de uma reflexão junto com minha família, meu partido e, principalmente, com a população”.

O Vale

Publicado em: 24/10/2012