Cidade tem crise na área da Saúde nos hospitais

A Secretaria de Saúde de São José dos Campos planeja iniciar na próxima semana recadastramento dos médicos da rede municipal para verificar possíveis distorções na situação funcional do corpo clínico da pasta. O secretário de Saúde, Paulo Roitberg, disse ontem que o resultado do recadastramento será utilizado no processo de redimensionamento dos profissionais nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde). “Sabemos que há unidades com muitos médicos e outras com poucos. Temos também informação de que existem muitos profissionais que estão afastados há anos”, afirmou. Segundo ele, esses médicos serão chamados para definir suas vidas profissionais no serviço público municipal. “Tem médico que está afastado há quase dez anos. É preciso saber se ele quer continuar na secretaria”, disse.

Atualmente, a Secretaria de Saúde possui 634 médicos nas Unidades Básicas de Saúde e UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento. No total, são 2.955 servidores. Déficit de funcionários é um dos gargalos da saúde no município, aponta o Comus (Conselho Municipal de Saúde), que vai elaborar um relatório para o secretário com as pendências prioritárias para serem solucionadas. O secretário relatou também que aguarda a conclusão de um relatório sobre a situação funcional dos profissionais técnicos e administrativos para verificar se há desvios de função. No ano passado, o Ministério Público, a pedido do Sindicato dos Servidores Municipais, começou a apurar possível desvio de função de pelo menos 179 auxiliares e técnicos de enfermagem que estariam sendo empregados em atividades não compatíveis com as suas atribuições de origem. Zelita Ramos, diretora do sindicato, disse que há muito tempo a entidade alerta para a falta de funcionários e existência de desvios de função na pasta. “É preciso abrir concurso público”, declarou. Ela afirmou que o sindicato vai procurar o secretário para conversar a respeito.

Roitberg destacou que as iniciativas integram o plano de melhoria do atendimento nas unidades da rede municipal de Saúde. “O objetivo é melhorar o acolhimento e o atendimento do paciente. Para isso, precisamos saber exatamente a situação dos servidores e dos profissionais da rede.” A meta é implantar um novo padrão de atendimento nas UBSs e UPAs. Os pacientes passarão por triagem e serão atendidos conforme a urgência do caso, segundo relatou o secretário.