Parque Vicentina Aranha tem show do final de semana

A Fundação Cultural Cassiano Ricardo (FCCR) realiza neste domingo (2 de dezembro), às 10h30, no Parque Vicentina Aranha mais uma edição do projeto Show nos Parques. Desta vez, a atração é o cantor Beto Jaguary, que apresentará vários ritmos e estilos, combinados às letras de forte lirismo e poesia.

O joseense Beto Jaguary é instrumentista e compositor dedicado à pesquisa das raízes culturais da Serra da Mantiqueira e Alto do Paraíba. Sua música, permeada de muita originalidade, é uma mistura de samba de roda, xote, baião e rasqueado, ritmos nordestinos, sons típicos do Vale do Paraíba e música flamenca.

O projeto Show nos Parques procura levar arte e cultura para mais próximo do público, por isso mesmo, as apresentações tem entrada franca e não é necessária a retirada de ingressos com antecedência, basta chegar e aproveitar.

O Parque Vicentina Aranha fica na Avenida Prudente Meireles de Moraes, 302, na Vila Adyanna, região central de São José dos Campos. Outras informações pelo telefone (12) 3924-7317.

Prefeitura Municipal de São José

Publicado em: 30/11/2012

Obras de Melhorias no Vicentina Aranha começa agora

Seis anos depois de comprar o Parque Vicentina Aranha, a Prefeitura de São José dos Campos decidiu restaurar o primeiro dos sete pavilhões do complexo. O recurso para o serviço, estimado em R$ 800 mil, foi liberado na última semana e mostra o fracasso da administração em obter verbas com a iniciativa privada para a recuperação do parque.

Em 2006, quando comprou o Vicentina Aranha da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia por R$ 22 milhões, o governo Eduardo Cury (PSDB) informou que a recuperação dos pavilhões teria que ser custeada pelo terceiro setor porque já tinha investido recursos públicos com a aquisição.

O primeiro edifício que será recuperado é o Alfredo Galvão (um dos menores com 194 metros quadrados). O restauro deve começar no final do ano, após o processo licitatório, e deve durar 12 meses. A meta é que parte do custeio da obra venha de doações das empresas.

O objetivo da prefeitura é transformar o edifício em ‘chamariz’ para obtenção de recursos com a iniciativa privada. O pavilhão será transformado em um showroom, que vai divulgar as propostas de transformar o parque em centro de cultura.

“Hoje, só temos papel para apresentar aos futuros parceiros. Com o restauro do Alfredo Galvão, as empresas da cidade poderão ver com mais precisão nosso projeto para o parque”, afirmou Ângela Tornelli, diretora da Ajfac (Associação Joseense para o Fomento da Arte e da Cultura), entidade gestora do parque.

No boletim de prestação de contas da Ajfac, Vítor Chuster, diretor do Comphac (Conselho Municipal de Patrimônio Histórico), disse que o pavilhão se transformará em um ‘cartão-postal’. “Para que as empresas vejam a importância desse trabalho e contribuam com investimentos”, afirmou Chuster.

Desde a compra do parque, a prefeitura tenta levantar verbas com empresas por meio de leis de incentivos fiscais e doações, mas até agora só conseguiu arrecadar cerca de R$ 170 mil. O montante não tem representatividade se for considerado o valor necessário para as obras de restauração de todas as edificações do Vicentina Aranha, que tem um custo estimado em R$ 32 milhões.

Sem o dinheiro das empresas, o uso do Vicentina Aranha que conta com uma área de 85 mil metros quadrados se limitou à pista de caminhada. Cerca de 3.500 pessoas vão ao parque todos os dias. O projeto de restauro do Pavilhão Alfredo Galvão que conta com três salas já foi aprovado pelo Comphac.

Segundo o projeto, a sala de entrada será ponto de informação sobre atividades e funcionamento do complexo. A segunda sala terá um museu interativo, que contará a história, enquanto a última mostrará as propostas para o parque, que deverá ter restaurantes e cafeterias.

O Vale

Músicas Barrocas dão inicial ao Natal no Vicentina Aranha

A Orquestra Sinfônica de São José dos Campos iniciará nessa semana o Advento Natalino na Capela do Parque Vicentina Aranha, com uma série de eventos dedicados à música barroca (*), executando obras de Vivaldi, Corelli, Scarlatti e Bach.

A celebração começa no dia 2 de dezembro, na sala de leitura do Parque, onde será realizado o encontro musical “Música e Texto nas Cantatas de Bach”, das 19h30 às 21h30. No encontro, os participantes poderão conhecer mais sobre o compositor alemão Johann Sebastian Bach (foto), considerado um dos grandes gênios da música clássica barroca. Suas cantatas trazem temas religiosos de exaltação a Deus

A Orquestra Sinfônica de São José dos Campos iniciará nessa semana o Advento Natalino na Capela do Parque Vicentina Aranha, com uma série de eventos dedicados à música barroca (*), executando obras de Vivaldi, Corelli, Scarlatti e Bach.

A celebração começa no dia 2 de dezembro, na sala de leitura do Parque, onde será realizado o encontro musical “Música e Texto nas Cantatas de Bach”, das 19h30 às 21h30. No encontro, os participantes poderão conhecer mais sobre o compositor alemão Johann Sebastian Bach (foto), considerado um dos grandes gênios da música clássica barroca. Suas cantatas trazem temas religiosos de exaltação a Deus.

A comemoração continua no dia 5 de dezembro, com o concerto barroco “Advento na Capela”, às 20h, que contará com a apresentação da soprano Elisabete Almeida, além de trompetes e instrumentos de corda. No dia 7, o concerto será reapresentado na Capela Senhora do Amor, na UNIVAP, também às 20 horas. Para a apresentação no Parque, é necessária a retirada do ingresso com antecedência, liberados a partir do dia 2 de dezembro, das 8h às 19h. O telefone para contato é (12) 3911-7090.

(*) Música barroca é toda música ocidental relacionada com a época cultural homônima na Europa, que vai desde o surgimento da ópera por Claudio Monteverdi, no século XVII, até à morte de Johann Sebastian Bach, em 1750. Trata-se de uma das épocas musicais de maior extensão, fecunda, revolucionária e importante da música ocidental e provavelmente a mais influente.